June 28, 2019

[Mês do orgulho] Ayumi e o seu relacionamento com a comunidade LGBTQ+


Não é novidade para ninguém o constante apoio de Ayumi à comunidade LGBTQ+ e o apelo que seu trabalho tem para esse público. Nesse mês do orgulho, é importante ressaltar alguns feitos da lenda que deram e continuam dando visibilidade a esse público num continente tão fechado e sobretudo num país (Japão) onde as minorias sofrem tanta discriminação.

Ayumi e seu trabalho com membros da comunidade LGBTQ+

Durante toda sua carreira, Ayumi trabalhou com profissionais de grande renome e abertamente assumidos sobre sua orientação sexual. Alguns exemplos são: o fotógrafo Leslie Kee, com quem Ayumi trabalha desde o álbum Secret; seu antigo estilista, Alvin Goh; seu produtor e backing vocal Timothy Wellard (conhecido como Timmy), figura recorrente em seus clipes e shows.

Ayumi e Timmy nos bastidores do clipe BRILLANTE (2011)

A dançarina e atual coreógrafa de sua turnê, Lico, é uma das integrantes da equipe mais queridas pelos fãs e pelo público geral. Lico é uma mulher trans que chegou a compor a equipe de dança de Ayumi até 2007 e, após alguns anos, realizou sua transição e voltou a re-integrar a equipe. Foi selecionada como uma das lead-dancers nas turnês Premium Showcase (2014), Cirque de Minuit (2015) e Made in Japan (2016), em 2017 não participou dos shows devido a problemas de saúde mas retornou em seguida, dessa vez como coreógrafa principal dos shows. Além disso, contracenou com Ayumi no clipe de XOXO (2014). 

Ayumi contracenando com Lico (2014)

Referências em seu trabalho

Mas o engajamento de Ayumi não está restrito a apenas a trabalhar com profissionais do meio. Durante diversas vezes, ela trouxe para seus shows e clipes referências à comunidade, algumas vezes de maneira explícita e outras de maneira mais implícita. Esse é reconhecido como um dos motivos de alguns fãs deixarem sua fã-base por não concordarem com seu engajamento político. Uma das primeiras vezes que isso ocorreu, foi no clipe de GREEN (2008), onde Ayumi encarna um sugestivo romance lésbico com a atriz Saito Midori.

Ayumi contracenando com a atriz Saito Midori (2008)
Já em 2010, Ayumi surpreendeu o público e a crítica com o clipe de Lady Dynamite, que se passa numa boate gay, rendendo icônicas cenas como a do banheiro (rs). O clipe não foi bem visto por alguns e foi inclusive motivo para que certos sites deixassem de acompanhar a carreira de Ayumi. Uma pena, não?

Bastidores do clipe de Lady Dynamite (2010)

Em 2012, Ayumi trouxe talvez a mais significativa contribuição para a comunidade LGBTQ+. How beautiful you are foi o primeiro single de seu álbum Party Queen (2012). A canção foi utilizada como tema do dorama 最後から二番目の恋  e o quê chamou atenção do público geral foi o seu clipe. Pela primeira vez um artista do mainstream japonês utilizou beijos gays em um clipe. A música foi escolhida como o tema da Tokyo Pride Parade devido a visibilidade, até então inédita, dada à comunidade. Os casais que aparecem no clipe são casais da vida real. Ao ser questionada sobre a escolha da música para a parada, Ayumi respondeu que estava extremamente feliz pois desde muito jovem frequentava o distrito de Nichome (um "distrito gay" em Shinjuku).

Cena do clipe how beautiful you are (2012)

Declarações

Em 2017, Ayumi publicou um texto em suas redes sociais explicitando sua chateação sobre a forma como o Japão trata as minorias, em tradução livre do AyuTrollada:

"E hoje encontrei uma amiga de longa data, e a conversa com ela me deixou sem saber o que dizer. Algo que me deixou pensativa e chateada como ontem à noite, quando voltei pra casa, e está até agora latejando na minha cabeça.

É sobre o porquê de o Japão ter tanta dificuldade para entender as minorias. Por exemplo, a minoria sexual referente ao público LGBT, ou a fala de uma autoridade feminina numa sociedade dominada pelos homens ser considerada opinião da minoria.

Sendo assim, eu, enquanto parte da minoria, vou continuar afirmando: ser minoria não significa ser fraco; e ser maioria não significa ser forte.
Vence quem sorri!(****) Vamos sorrir e sorrir!""

A declaração foi motivo de comemoração por muitos fãs que sempre viram Ayumi como um dos pilares na luta contra a LGBTQfobia no continente.

Nesse ano (2019), Ayumi publicou no instagram um texto de uma amiga referente as recentes leis japonesas para retirada da opção "sexo" nos formulários de admissão do ensino médio em algumas províncias japonesas, em tradução livre do Ayutrollada:

"Minha amada Risato compartilhou esta linda postagem, e peço permissão para fazer o mesmo. Leiam, por favor.

Tempos atrás, minha amiga murmurou com um suspiro: "queria poder assinalar a opção do meio...".
Ela é transgênero, e sente um desconforto tão grande sempre que vê o campo 'sexo' em seus documentos que não tenho palavras para descrever. Ela não fez alteração nos documentos, e apesar de fazer uso de hormônios, o corpo continua com aspecto masculino.

Formulários sem este campo preenchido não são aceitos por estarem 'incompletos', e caso marque a opção 'masculino', estará negando o fato de ser mulher. Segundo ela, "é horrível, como se dissesse a mim mesma 'você não é normal'".

Na primavera de 2020, o campo 'sexo' vai deixar de existir nos formulários para o exame de admissão no ensino médio, e em 14 províncias (como Kanagawa e Fukuoka) ele já não existe. Justamente por 'respeito' às minorias sexuais.

E se pararmos para pensar, não há a menor necessidade dele nesses formulários, porque o objetivo do vestibular é selecionar os alunos por sua capacidade; se a pessoa tem condições de ser aprovada, o gênero não influi em nada. Além disso, a abolição deste campo pode ser o fim de um tormento desnecessário para aqueles que se sentem desconfortáveis com seus corpos.

Mas vamos pensar um pouquinho: será que o 'respeito' se limita a esta mudança?
Aquela amiga de quem eu falei no início da postagem me contou que quase nunca ia à escola, e é muito provável que a razão disso não seja apenas o campo 'gênero'.

A sociedade em que vivemos nos divide apenas em 'masculino' e 'feminino'. Nas escolas, em particular, os banheiros, boletins, documentos emitidos pelos instrutores dos clubes, uniformes, o horário da educação física... Em vários pontos está implícita a ideia de que todos se dividem em 'masculino' e 'feminino'.

Se conversando com uma amiga eu pergunto 'já tem namorado?', já está claro o meu pré-julgamento de que ela é heterossexual e namoraria um homem; e caso ela não se encaixe neste senso comum imposto pela sociedade, a pergunta poderia lhe causar grande desconforto.

A mudança dos formulários, por si só, não vai mudar a sociedade, mas pode levá-la a se questionar se o suposto 'padrão' é válido para todas as pessoas e até a respeitar as diferenças. Esta forma de pensar, aliás, não se aplica apenas à questão do gênero, mas a qualquer outro assunto.

Logo chegará o dia em que diremos 'homem, mulher; seja o que você bem entender. É divertido'.
A sociedade não muda por acaso; isso só acontece porque nós é que mudamos.
Texto: @enmami000
O que podemos fazer em nome deste 'respeito'? Deixem suas opiniões nos comentários!

#Exame de admissão do ensino médio
#Gênero
#Identidade de gênero
#Colagem
#Collageartwork
#Vestibulando
#Digitalcollage
#Escola
#Ensino médio
#Igualdade de gênero"

Tokyo Pride Parade de 2018

No ano de 2018, Ayumi foi selecionada como a principal atração da Tokyo Pride Parade. Uma verdadeira celebração da diversidade, a parada ocorreu no dia 6 de maio e os show foi totalmente gratuito, Ayumi não recebeu nenhum cachê para realizá-lo. Em suas redes sociais, Ayumi agradeceu o convite e mostrou entusiasmo para o evento.

Ayumi nos bastidores do evento (2018)
Nesse mês da diversidade, achamos importante trazer um pouco de toda a visibilidade que Ayumi deu à comunidade LGBTQ+. Certamente, ela é uma das artistas japonesas mais ativas nessa luta e, felizmente, sabe utilizar de seu nome e exposição para trazer temas importantes como esse para a sociedade japonesa.


Obrigado a todos que leram!

June 01, 2019

,

Biografia


[Atualização: 01/06/19]
Perfil

Nome : Hamasaki Ayumi
Apelido : Ayu
Data de Nascimento : 02 de outubro de 1978
Local de nascimento : Fukuoka
Signo : Libra
Altura : 1m56
Peso : 40 kg
Tipo sanguíneo : A
Medidas : 80-53-82
Artistas favoritos : Keiko (GLOBO) , Rie Miyazawa, Seiko Matsuda.
Atores favoritos : Nicolas Cage, Rie Miyazawa.
Filmes Favoritos : The Bodyguard, Betty Blue, Leaving Las Vegas.
Hobby : Piano, Caligrafia, Desenho.
As pessoas que ela respeita : Pessoas com habilidades que ela não tem.
O que não gosta : Aqueles que não dizem "olá" e que mentem.
Estado civil : Solteira (2018)
                       Divorciada de Tyson Bodkin (2016)
                       Divorciada de Manuel Swcharz (2012)



Ayu é ainda hoje um dos pilares do pop japonês. É considerada a Rainha do J-pop e ganhadora de vários recordes dentro da indústria musical. Desde sua estreia em 1998 com o single "poker face", Ayumi já vendeu mais de 50 milhões de discos apenas no Japão, tornando-se a artista que mais vendeu discos no país.

Diversidade musical combinada com qualidade e produtividade são a marca da cantora.

Sempre foi alvo de críticas na mídia japonesa, tornando-se uma das artistas mais polêmicas do Japão e mais adoradas, também. No entanto, esta pequena mulher não deve seu sucesso apenas ao trabalho de cantora. A espontaneidade, o dinamismo, a honestidade nas letras, o carisma no palco e a relação especial que tem para com seus fãs e equipe ajudaram-na a erguer seu reinado, que neste momento tem 21 anos! 

May 16, 2019

A Música E Eu #07: Sakiko Hirano fala sobre Ayumi Hamasaki



O site 'natalie' está publicando uma série de artigos chamada "A Música E Eu", onde famosos são convidados para dar um longo depoimento sobre seus cantores favoritos.
No artigo mais recente, publicado no dia 30 de abril, foi a vez da escritora e blogueira Sakiko Hirano falar de sua admiração por Ayumi, que já dura desde a pré-adolescência.
Detalhe interessante é que dos sete artigos já publicados, Ayumi foi a primeira cantora solo a ser homenageada (os outros escolhidos foram bandas e cantores solo).

Antes de continuarmos: quem é Sakiko Hirano?

Que lindinha~!

Publicitária, escritora e blogueira, Sakiko nasceu em 1991 na província de Fukuoka (o que lhe traz grande orgulho, por ser a mesma de Ayumi).
Trabalhava como publicitária na famosa agência "Hakuhodo" enquanto mantinha um blog sobre sua grande paixão: comida! Desde a época do primário Sakiko já enchia cadernos com detalhes sobre os restaurantes que visitava e sobre o que comia. O blog foi criado na época da faculdade como um "upgrade" destes diários, e se tornou tão popular que lhe rendeu convites para escrever artigos sobre o assunto em revistas femininas (como "an.an" e "SPRING"), publicar livros e até aparecer em programas de variedades na TV.

"O Diário de Sakiko Jones"

Há pouco tempo, deixou o emprego na Hakuhodo e decidiu se tornar freelancer. E ela é famosa: se escrever フードエッセイスト ("food essayist") no Google, seu nome aparece não apenas nas opções de busca, mas em TODOS os resultados.
Para terminar, assistimos alguns vídeos no YouTube e a Sakiko não só é um amorzinho de pessoa, como também é uma fofura. Dá vontade de morder! E o depoimento dela é tão divertido e gostoso de ler que deve ter sido, de longe, uma das traduções que mais gostamos de fazer.
Apresentações feitas, vamos à tradução do artigo.

De uma diva misteriosa a uma celebridade humana e simples; esta pessoa tão diferente e apaixonante chamada Ayu
Esta é uma série de artigos com depoimentos de famosos das mais diversas áreas de atuação sobre seus artistas favoritos. Neste sétimo artigo trazemos a escritora Sakiko Hirano, que é obcecada pela cantora Ayumi Hamasaki – a ponto de afirmar que "Ayu ultrapassa e muito o nível divino" – e nos contou sobre a atração que a artista exerce sobre ela desde a pré-adolescência.

Ouvi "SEASONS" chorando...
Como geralmente escrevo artigos sobre comida e dietas, não é sempre que tenho a chance de dizer isso, mas adoro a Ayu. Na época da escola eu era membro do fã-clube Team Ayu, e passei toda minha pré-adolescência próxima a Ayumi Hamasaki.
Esta toalha que eu trouxe foi comprada no 'a-nation' de 2006, e a performance de "BLUE BIRD" ainda está fresquinha na minha memória. A toalha estava sendo usada no banheiro na casa da minha mãe (risos), mas eu a peguei de volta para trazer aqui hoje. Na verdade, já tive um montão de goods da Ayu, mas na época da faculdade acabei me desfazendo de muita coisa, como CDs, DVDs, photobooks e ayupans. A toalha foi o único item que sobreviveu a essa faxina, e hoje em dia me arrependo tanto...

O único good que sobrou.

2002 talvez tenha sido a época em que fui mais apaixonada pelo trabalho dela, mas lembro que fiquei impressionada com a letra de "SEASONS", lançada em 2000. É uma das músicas que melhor representam o auge de sua carreira e na época do lançamento eu só pensei "que música bacana, Ayu é demais" e coisas desse tipo, mas quando prestei mais atenção na letra vi que era bem triste. Me chamou atenção a parte do refrão que diz "hoje foi um dia muito triste/ e mesmo que amanhã estejamos chorando/ certamente virá o dia em que vamos rir disso tudo". Eu pensei "nossa, Ayu está triste?" e me identifiquei tanto com aquilo que logo já estava pensando "então, eu também estou triste".
No pv de "SEASONS" Ayu aparece vestida como se estivesse de luto, e juntamente com "vogue" e "Far away", a música faz parte daquela que os fãs chamam de "trilogia triste".
Quando eu estava no primário, o grupo Morning Musume era muito popular e minhas amigas e eu sempre o imitávamos. A líder do nosso grupo era uma menina chamada M-chan, muito má e de quem todos tinham medo. Lhe pusemos o apelido de "Okame Nattou(*)" e diziam que "se você a contrariar, amanhã não vai sobreviver à escola". Ela era fã da Maki Goto e eu também era (inclusive tinha um bottom dela escondido nas minhas coisas), mas fingia ser fã da Asami Konno... (risos). O problema é que alguém contou a M-chan que eu gostava da Maki Goto, e ela imediatamente me expulsou do grupo. Na volta para casa, enquanto esperava o ônibus sozinha, chorando e ouvindo "SEASONS" no MD player, pensei "hoje foi um dia muito triste, mas serei forte".
Foi Ayu quem esteve ao meu lado. Claro que não foi um momento feliz, mas foi um momento onde senti que ela me ajudou.

(*) "Okame Nattou" é uma marca de natô (soja fermentada) que traz na embalagem este desenho de uma okame, máscara cômica feminina bastante famosa e tradicional em festivais do Japão. Que maldade, Sakiko... Hahaha!

Ayu foi tema de um trabalho escolar
Naquela época, eu não entendia nada sobre esse negócio de "produtor musical" e achava estranho o fato de Ayumi sempre agradecer a um tal Max Matsuura em seus shows. E talvez eu a tenha conhecido em uma fase de sensibilidade e inocência, não sei; mas é fato que me apaixonei pelo trabalho dela. Para mim, tudo que Ayumi fazia passou a trazer uma mensagem oculta: se ela chorasse na capa de um CD, eu tentava descobrir o significado por trás daquelas lágrimas; e sempre que eu via um trecho obscuro e misterioso em suas letras ou entrevistas, buscava saber mais sobre ela.
A coisa chegou a tal ponto que no ensino médio fiz um trabalho escolar com o tema "Ayumi Hamasaki" (risos). Era um trabalho de pesquisa livre, e enquanto os outros alunos escolheram temas mais adequados, como "O besouro mergulhador" ou "A origem do hashi", fui a única a falar sobre ela... Fiz uma pesquisa profunda explicando as razões de Ayumi possuir um carisma tão apaixonante, e apesar de um trabalho desses ter em média 10 páginas, fui a única a escrever mais de 80! Até o professor ficou admirado.
Nós éramos da Turma A do 2º ano, e é óbvio que na capa eu escrevi o "A" igual ao logotipo da Ayumi. Aliás, na época, todo "A" que eu escrevia era aquele e sentia até orgulho disso, mas nas provas de inglês isso costumava me dar pontos a menos.

Sakiko trouxe o trabalho para a entrevista.

Que nostalgia... Mas tem um erro logo na introdução: escrevi "ela é uma grande artista que muita gente conhece" (risos). Acho que a intenção era dizer "que todos conhecem", não é?
Comecei contando a vida dela, analisei letras de música e fiz até um capítulo investigando "Ayumi Hamasaki fez cirurgia plástica?". E por aí vai... Agora, olha esse gráfico! Olhando hoje, é bem estranho e parece que não faz nenhum sentido (risos).

"Ayumi Hamasaki no passado
Desapontada com a sociedade corrupta
Ayumi Hamasaki hoje
Vive corajosamente em meio à sociedade corrupta"

E a pesquisa finalmente termina com a conclusão "Ayumi Hamasaki é um raio de luz que se projeta da escuridão deste mundo", mas ela teve uma infância que lhe deixou muitas cicatrizes, não é?... Quando era pequena, o pai sumiu de casa e ela foi criada pela avó e pela mãe que parecia não gostar dela. Sem o amor da família e se sentindo excluída, acabou crescendo sem confiar nas pessoas. E então, essa garota tão sozinha é descoberta por Max Matsuura e, sempre que a vemos, nos sentimos encorajados e pensamos "oh, Ayu está sempre ao nosso lado". A letra de "No More Words", que diz "se o mundo se divide em 'vencedores' e 'perdedores'/ Ah, eu sou uma perdedora/ Sempre vou querer ser uma perdedora" é muito simbólica, e sempre me lembro dela quando vou ao dentista.
Ao mesmo tempo, sempre fui fascinada pelos pontos de vista filosóficos e frios em letras como "Duty" ("vi com meus próprios olhos uma era chegar ao fim/ e tenho certeza de que sou a próxima") e "vogue" ("você desabrochou e se tornou uma linda flor/ depois disso, suas pétalas vão cair lentamente"). Nas aulas de literatura, quando li "o som dos sinos do mosteiro ecoa as incertezas da vida(...)(*)", pensei "será que Heike era Ayu?".
Ela se tornou a diva desta era e sempre foi lindo vê-la cantar de forma tão magnífica, mesmo que talvez imaginasse estar destinada a desaparecer um dia.

(*) Primeira frase de "Heike Monogatari" (ou "O conto de Heike"), um clássico da literatura japonesa. Essa frase de abertura, aliás, é famosíssima no Japão. Deve ser equivalente ao nosso "minha terra tem palmeiras onde canta o sabiá".

Uma desajeitada buscando seu espaço no mundo do showbiz
Embora diga isso, este ano Ayu completa 21 anos de carreira. Impressionante como ela chegou tão longe, não é? Enquanto outras cantoras já deixaram o mundo artístico, seja para se tornarem mães ou seguir outro objetivo qualquer, Ayumi ainda se mantém firme com seus shows. Mesmo com obstáculos e se apresentando em locais grandes ou pequenos, ela nunca deixou de cantar! Qual seria a razão disso, diante da possibilidade de uma carreira efêmera? Sempre que penso nisso, chego nas palavras-chave "a busca pelo seu espaço". Afinal, é impossível falar em Ayumi sem falar nelas.
"Não havia um lugar para mim, não conseguia encontrá-lo/ Não sabia se podia ter esperanças no futuro" ("A Song for XX"). No início, era assim que Ayumi enxergava sua infância. Quando participou de um documentário ("Super Television Information Frontier", da TV Nihon) e lhe perguntaram "por que decidiu ser cantora?", ela respondeu com um olhar inexpressivo: "por que será...? Porque queria um lugar para mim...?". Entretanto, muito tempo – e muitos altos e baixos – depois, em seu 6º álbum MY STORY, Ayumi já estava cantando em "Replace": "Eu digo a você, e quero que diga aos outros/ que nós não estamos sozinhos". Quando ouvi o MY STORY na época fiquei muito feliz e pensei "Ayumi conseguiu encontrar um lugar para si mesma~!", mas sob outro ponto de vista, é difícil encontrar um lugar no mundo do showbiz, que está em constante mudança. E talvez seja esta a razão da tristeza e da vida turbulenta de Ayumi Hamasaki.
Anos atrás li uma entrevista na 'Numéro TOKYO' onde Ayu falou mais ou menos assim a respeito da felicidade feminina: "se a felicidade da família padrão representa o amor e a alegria extrema, no meu caso estaria plenamente satisfeita com o meu trabalho de criar músicas e shows a partir do zero". Eu amei! Depois de ler isso, é impossível dizer a ela para parar, não é?
Mas sendo bem honesta, a paixão que eu nutria por ela começou a esfriar no momento em que Ayu abandonou a solidão. Claro que fiquei feliz por ela ter enfim encontrado uma esperança, mas por outro lado senti que sua história tinha chegado ao fim e perdi o interesse... Uma garota solitária que tinha sido capaz de emocionar outras pessoas e fazê-las chorar. Dali em diante, achei que não veria outra história tão cativante, até porque isso já se tornaria corriqueiro.

Adorável, mesmo tão natural e humana
Graças a isso acabei me afastando e até deixei de ir aos shows, até que em 2015 tive a chance de vê-la após quase 10 anos. Sinceramente, na época estava insegura. Será que ia gostar?... Mas bastou apagarem as luzes e um rapaz perto de mim gritar "Ayu~!!" para que eu ficasse profundamente emocionada (risos). E isso porque Ayumi ainda nem tinha aparecido no palco. Foi instantâneo, e para que meus sentimentos viessem à tona assim tão depressa, percebi que no meu coração, Ayumi Hamasaki continuava sendo a mesma da minha adolescência.
Mesmo após tantos anos, Ayu estava brilhando. E era tão pequenininha. Sempre gostei de vê-la tão pequena cantando no limite de suas forças em palcos enormes, e era sempre uma presença marcante que nada tinha a ver com o tamanho físico do corpo. Não é à toa que é a líder da equipe. Com performances muito bem elaboradas e repleto de emoção, o show foi realizado com tamanha entrega e devoção que aquilo tocou fundo na minha alma.
A antiga Ayu era uma artista brilhante e maravilhosa, enquanto a atual tinha se tornado uma grande artista muito humana e ainda assim incrivelmente fascinante. No telão, víamos a frase "mesmo que os tempos continuem mudando/ aqui está uma coisa que jamais irá mudar" (letra de "The Show Must Go On"). Os sentimentos dela estavam fortemente expressos ali, como se dissesse "aqui é o meu lugar! Eu adoro todos vocês!". Antigamente não havia produções como aquela, foi algo novo e adorei a mensagem tão espontânea.
Muitas divas consideradas "da era Heisei" foram, uma após a outra, se afastando dos palcos antes mesmo que a referida era chegasse ao fim. É claro que é muito bonito chegar ao fim da carreira como uma estátua linda e perfeita, mas acho que ser mais humana é mais a cara da Ayu. Para mim, ela chegou vitoriosa ao seu final feliz e isso nos serve de exemplo no nosso dia a dia. Pessoalmente, me sinto encorajada sempre que penso que hoje Ayu está sob o mesmo céu que eu, fazendo treinos vocais, exercitando seu corpo, e quando se depara com alguma adversidade, diz "darei o melhor de mim" e segue adiante.
Agora que atravessou a era Heisei, que tipo de história Ayu estará prestes a escrever? Desejo que ela continue sobre os palcos o máximo possível, e é assim que quero poder vê-la até o fim. Acho que este é o desejo de todos que já se sentiram salvos por ela, não é mesmo?
Para terminar, será que posso cantar? Escolho "Boys & Girls" e "SURREAL". Claro, vou cantar acompanhada por um vídeo dela. Oh, Ayu! Você é mesmo linda...

A entrevista aconteceu no karaokê 'Pasela Resorts', em Shibuya, e aqui Sakiko aparece cantando "SURREAL" e repetindo as frases ditas por Ayumi durante os shows, como "todo mundo cantando comigo~!!" e "vocês são o máximo!".

Repercussão:
Sakiko compartilhou o artigo em seu Twitter e adicionou a legenda "um artigo sobre o amor por Ayumi Hamasaki, publicado nos últimos instantes da era Heisei. É bem extenso. Ayu, eu te amo".
Vários fãs se identificaram com suas opiniões e também compartilharam o artigo no Twitter. Confiram algumas legendas:
'crystal palace' escreveu: "Eis um artigo sobre Ayumi Hamasaki, por Sakiko Hirano. Quando estava no primário também passei por momentos difíceis, e também faço parte daqueles que choram ao ouvir 'SEASONS'. Tenho certeza que Ayu foi a diva que ajudou muita gente durante a adolescência".
'NihonDanshi_TA' disse: "Ainda não conhecia Sakiko Hirano, mas é um artigo muito bom e repleto de amor".
'gupioooooo' escreveu: "Ela se lembra da Ayumi quando vai ao dentista! Hahaha! E eu também! Hahaha! Há quanto tempo quero ver um show da Ayu...".
'M.ak' disse: "As opiniões dela representam os fãs. Há muito tempo estive em um show e foi apaixonante".
'sashimi' escreveu: "Ela foi nossa porta-voz com muita propriedade! Também amo Ayu demais".
'morino_ko' disse: "Ótima entrevista! Sakiko é muito divertida!".


April 27, 2019

,

[Charts Heisei Era] Ayumi é o maior ato solo da história do Japão


Durante o último mês, a Oricon liberou os charts finais da era Heisei (1994-2018) no Japão. E, para a surpresa de ninguém, Ayumi figura junto dos maiores nomes do cenário musical japonês. 

Maiores vendas físicas (singles e álbuns)

#4 Ayumi Hamasaki (50,708,000 cópias)
21,493,000 singles físicos (#1 Artista solo que mais vendeu singles/#5 geral)
29,214,000 álbuns físicos (#1 Artista solo que mais vendeu álbuns/#4 geral)

Álbuns físicos mais vendidos

#6 A BEST (4,312,000)

O mercado japonês é dominado pelos grupos há muito tempo, o que torna o feito de Ayumi impressionante: a única artista solo no Top 5 de vendas combinadas. Não existem precedentes de qualquer outro cantor(a) solo que tenha vendido tanto nos mais de 50 anos de história da Oricon. Há ainda que se ressaltar que os números apresentados são referentes apenas às vendas físicas computadas pela Oricon (contagem apenas do Top 100 até 2003 e do Top 300 desde então - tudo fora disso é desconsiderado). Para se ter uma ideia, o A BEST ultrapassou a marca de 5 milhões de cópias em território japonês e acumula mais de 6.7 milhões ao todo.

Isso evidencia, mais uma vez, que o legado da artista Ayumi Hamasaki é intocável. Não se limitando apenas aos estúdios de gravação, sua vida e dedicação artística são admiráveis. São 20 anos inteiramente dedicados aos palcos e aos fãs. Vida longa à lenda e que isso seja apenas o começo de uma nova era.


March 09, 2019

, ,

Power of A^3: LOGO+Ingressos se esgotando+Set list

LOGO oficial dos shows

Quando ainda no final do ano passado Ayumi revelou que dois concertos especiais seriam realizados para marcar o fim das comemorações de 20 anos de carreira, muita expectativa foi gerada entre os fãs. Há algumas semanas, foi revelado que os membros do TeamAyu poderiam escolher duas canções anteriormente performadas para que fossem possivelmente apresentadas nos shows.

Na última semana, foi revelado o logotipo escolhido pela equipe para divulgar os shows. O mesmo foi enviado por um fã no twitter e posteriormente selecionado (imagem acima).

Ontem se iniciaram as vendas para o público geral e, ao que tudo indica, os ingressos estão sendo bem disputados: As vendas pelo Yahoo e pela Lawson referentes à segunda data foram esgotadas em menos de 24 horas. Há expectativa que sejam liberados mais ingressos devido à configuração versátil da Saitama Super Arena, que conta com uma opção de Hall (5 mil pessoas), duas de Arena (13 mil/17 mil pessoas) e a opção Dome (35 mil pessoas). Os shows da tour de 20 anos foram feitos na configuração de Arena para 13 mil pessoas.

Existe também muita ansiedade por parte dos fãs a respeito dos futuros lançamentos. Há pelo menos 3 shows não lançados em DVD nos últimos 2 anos. Muitos especulam uma possível coletânea com um box milionário com os shows que ainda não viram a luz do dia. Outros apostam em um novo álbum, alguns até mesmo falam em descanso para uma nova turnê durante o inverno japonês. O quê vocês acham? Nossa única certeza é que ela não parará. Ficaremos de olho em mais novidades.


Fontes:

Avex 1 2
Yahoo e Lawson (Créditos ao fã @Ryo_manila_ta)



January 01, 2019

, , , , , ,

[CHARTS] KKBOX libera os artistas/singles mais populares de 2018

Uma das primeiras e principais plataformas de streaming asiáticas, o KKBOX foi fundado em Taiwan em 2004 e desde então Ayumi tem ganhado destaque na plataforma, figurando sempre entre os artistas japoneses mais escutados. A empresa está presente em Taiwan, Hong Kong, Cingapura, Malásia e Japão; sendo a principal plataforma de streaming musical nos dois primeiros.

TOP 5 ARTISTAS JAPONESES MAIS POPULARES

CINGAPURA

#1 Ayumi Hamasaki

MALÁSIA

#5 Ayumi Hamasaki

TOP 100 MÚSICAS JAPONESAS MAIS POPULARES

TAIWAN

#51 Ayumi Hamasaki - aeternal

HONG KONG

#24 Ayumi Hamasaki - aeternal
#64 Ayumi Hamasaki - WORDS
#80 Ayumi Hamasaki - The Way I am

CINGAPURA

#8 Ayumi Hamasaki - aeternal
#10 Ayumi Hamasaki - WORDS
#12 Ayumi Hamasaki - The Way I am
#13 Ayumi Hamasaki - We are the QUEENS
#15 Ayumi Hamasaki - W

MALÁSIA

#26 Ayumi Hamasaki - aeternal
#38 Ayumi Hamasaki - WORDS
#48 Ayumi Hamasaki - The Way I am


É possível notar que, mesmo estando há anos sem um show fora do Japão, a popularidade da Ayumi continua alta. O desempenho do TROUBLE no KKBOX nesses mercados foi o seguinte:

Taiwan #4
Hong Kong #1
Cingapura #1 (4x)
Malásia #1 (2x)

Cingapura, como sempre, demonstrando ter uma da das fã bases mais fortes e dedicadas. Será que teremos surpresas para os fãs não-japoneses em 2019?


Fontes:

December 31, 2018

,

[ANÚNCIO] ayumi hamasaki 21st anniversary -POWER of A^3-

Imagens de divulgação da Power of Music 2018

Durante um show em abril da Power of Music 2018, alguns fãs acharam estranho a presença de datas referentes ao ano de 2019 na camisa de membros da equipe da Ayumi. Muitos especularam até que fosse um erro na impressão das camisas (malvados, hein? haha).

Camiseta do membro da equipe

Pois muito que bem, foram anunciados hoje - durante a volta do show de fim de ano da Ayumi (CDL 2018-2019) - dois shows especiais que  encerram as comemorações de 20 anos de carreira e iniciam os 21° aniversário. Assim foi chamado o -POWER of A^3-.

Anúncio dos shows

Ao que parece, A^3 se refere à Ayumi, à equipe e ao público e como esses 3 elementos vão além do Poder da Música. Muitos fãs ainda especulam o lançamento de um A BEST 3 (já se vão quase 12 anos desde o lançamento do A BEST 2).

Os shows ocorrerão nos dias 6 e 7 de abril na tradicional Saitama Super Arena. Resta descobrir qual a configuração será usada para os shows (Arena 13 mil pessoas/Arena 17 mil pessoas/Dome 35 mil pessoas). Há ainda uma promoção para quem entrar para o fã-clube oficial, Team-Ayu, até o dia 6 janeiro. Quem assim o fizer poderá concorrer à venda inicial dos ingressos para o show.

Vamos cruzar os dedos, quem sabe não vem um single ou um álbum  (sonhei) por aí, né?

December 21, 2018

, , ,

[CHARTS] Desempenho dos trabalhos da Ayumi nos principais charts japoneses em 2018


Embora os últimos anos não tenham sido os mais proveitosos em termos de vendas para a carreira da Ayumi, 2018 foi um ano com um saldo positivo. Neste post, será abordado o desempenho e a colocação dos trabalhos da Ayumi nos principais charts japoneses (vendas físicas, digitais e ingressos de shows).

ORICON

Principal chart japonês, a Oricon começou a monitorar as vendas discos e singles em território nipônico ainda nos anos 60 (anterior mesmo à criação da SoundScan nos EUA nos anos 90). Como é sabido por muitos, Ayumi é a artista solo mais bem sucedida de todos os tempos no Japão com vendas físicas contabilizadas pela Oricon de cerca de 51 milhões. Mas isso significa que ela vendeu "só" 51 milhões no Japão? Não! Embora seja um bom mecanismo para se medir a popularidade de um trabalho, a Oricon só contabiliza as vendas dos álbuns/singles que estão em seu Top 300 (Top 100 até 2003). Isso significa que, se um álbum sair do chart por uma semana, a empresa considera que nenhuma cópia foi vendida naquela semana. Portanto, é sempre importante falar em 51 milhões contabilizados pela Oricon. Além disso, vendas em shows e "fontes não-oficiais" são diminuídas em 70%. Utilizando os números da avex, há uma discrepância de mais de 7 milhões de cópias. Assim, o total de vendas físicas da Ayumi em território japonês deve beirar os 60 milhões facilmente.  Como se não bastasse tudo isso, a Oricon só passou a divulgar as vendas digitais a partir de 2017, estando uns 10 anos atrasada com relação ao resto do mundo. Depois dessa longa explicação, vamos às posições:

ÁLBUNS FÍSICOS

#134 TROUBLE (32,538 cópias/Peak #3/13 semanas charteando) 

ÁLBUNS DIGITAIS

#16 A COMPLETE ~ALL SINGLES~ (18,955 cópias/Peak #6/14 semanas charteando)

~Curiosidades: A coletânea A SUMMER BEST também se destacou durante esse ano e chegou a vender cerca de 2 mil cópias digitais. TROUBLE vendeu 2.7 mil cópias em 3 semanas. 

BILLBOARD JAPAN

Com um sistema parecido com o da Oricon, a Billboard utiliza dados computados pela SoundScan Japan para rankear singles e álbuns. Criada em 2008, seus números diferem significativamente dos divulgados pela Oricon.

ÁLBUNS DIGITAIS

#19 A COMPLETE ~ALL SINGLES~

RECOCHOKU

Uma das principais plataformas de vendas digitais japonesas. A Recochoku divulga anualmente listas com os singles e álbuns mais vendidos digitalmente, além de rankear os artistas mais populares na plataforma.

ÁLBUNS DIGITAIS

#9 A COMPLETE ~ALL SINGLES~

ARTISTAS QUE MAIS VENDERAM

#54 Ayumi Hamasaki

Vocês encontra o histórico da Ayumi aqui.

MORA

Mais uma plataforma de vendas digitais. Mora é controlada pela Sony Music (Recochoku é uma plataforma da avex e outras gravadoras).

ÁLBUNS DIGITAIS

#62 A BEST ~15th anniversary version~

NIKKEI

A Nikkei é uma revista que revela rankings bem variados sobre popularidade no Japão. As listas vão desde idols mais bonitos, até a shows mais procurados no país. Ayumi é conhecida pelas produções extravagantes e os shows impecáveis. Todos os anos já é um costume para suas turnês figurarem entre as mais buscadas no Japão.

#39 Ayumi Hamasaki (231,000 ingressos/50 shows)

Esse ano a Ayumi ultrapassou a marca de 5 milhões de ingressos vendidos durante a carreira. Você pode ver o histórico dos outros anos aqui.

AWA

A plataforma de streaming da avex é uma das principais no Japão. 

MÚSICAS MAIS VICIANTES DO ANO

Mais uma plataforma de vendas digitais.

ÁLBUNS MAIS VENDIDOS

#10 A COMPLETE ~ALL SINGLES~
#16 A SUMMER BEST

December 01, 2018

[CHARTS] Ayumi quebra marca pessoal de 10 anos no chart da G-Music

TROUBLE traz bons frutos para Ayumi

Que Taiwan é o segundo mercado mais importante da carreira da Ayumi, todos sabiam. Após uma série de lançamentos não tão bem recebidos assim pela crítica e pelos fãs não-japoneses (exceção de 2015), parece que as coisas começam a se ajeitar. Além de ter tido a melhor estréia em cerca de 10 anos, TROUBLE conseguiu a façanha de se manter por 9 nove semanas consecutivas no Top 10 de álbuns asiáticos da G-Music. A última vez que Ayumi conseguiu tal façanha foi na comemoração de seu 10º aniversário, com GUILTY.



GUILTY passou 10 semanas consecutivas no Top 10 do chart. Será que TROUBLE será capaz de igualar o feito ou, até mesmo, superá-lo? Vale lembrar que os charts da G-Music começaram a ser divulgados no ano de 2006 e, até hoje, o recorde de maior número de semanas entre os dez mais vendidos pertence ao Secret (16 semanas). Façam suas apostas! Daqui a 2 semanas voltamos com mais informações.

A pergunta que não quer calar é: "QUANDO ESSA MULHER VAI VOLTAR A FAZER SHOWS FORA DO JAPÃO? O PÚBLICO CLAMA!!!"





Observações & Fontes
*Não há informação sobre as outras semanas
**Apenas trabalhos de inéditas foram considerados
[2] G-Music

September 16, 2018

,

[TROUBLE EM TAIWAN] Data de lançamento revelada e o histórico de Ayumi no país


Foi revelado na semana passada a data de lançamento do novo mini-álbum, TROUBLE. Inicialmente programado para ser lançado no final de agosto, o lançamento do mini está programado para o dia 28 de setembro. Mesmo obtendo a licença para lançar o produto ainda na semana de lançamento no Japão, o adiamento foi necessário para que a Avex Taiwan confeccionasse uma versão exclusiva para os fãs taiwaneses. Os fãs que comprarem o álbum em lojas físicas ganharão um pôster, já os que encomendarem digitalmente ganharão um card especial.

Usualmente, os lançamentos em Taiwan acontecem na mesma semana que no Japão ou com alguns dias de atraso. O histórico de Ayumi no país são excelentes, sendo a cantora japonesa de maior sucesso no país durante a década passada. São estimadas vendas de mais de 1-1.5 milhão de cópias no país.

O desempenho dos álbuns de estúdio nos três principais charts do país é o seguinte:


Album Chia Chia 5-Music G-Music Combo G-Music EA
My Story - #1 (4x) - -
(miss) understood - #1 (6x) #1 #1 (6x)
Secret - #1 (2x) #4 #1 (4x)
GUILTY - #1 (3x) #2 #1 (4x)
Next Level - #1 #2 #1
Rock'n'Roll Circus - #1 (2x) #4 #1 (4x)
Love Songs #1 (2x) #1 NA #2
Party Queen #1 #3 #3 #2
Love again #3 #2 #12 #2
COLOURS #4 #2 #7 #1
A ONE #1 #1 - #1
M(A)DE IN JAPAN #1 #3 - #5
Total #1's 4 8 1 7
Total Top 5's 6 12 6 11
Semanas em #1 5 19 1 18

Taiwan não tem um chart oficial desde 1999, os dadosapresentados na tabela fazem parte de dados compilados por grandes redes de lojas taiwanesas começando em 2004 com a 5-Music, logo após vieram os charts da G-Music em 2005 e Chia Chia no final de 2010. As vendas estimadas são as seguintes:


AlbumVendas estimadasAtualização
Álbuns de estúdio
A Song for XXNA-
LOVEppearsNA-
DutyNA-
I am...175,0002002
RAINBOW150,0002004
MY STORY73,0002005
(miss)understood70,4172006
Secret42,2212007
GUILTY23,9662008
Next Level19,7812009
Rock'n'Roll Circus24,9922010
Love songs13,8412010
Party Queen3,6872012
LOVE again2,0412013
COLOURS9922014
A ONE7512015
M(A)DE IN JAPAN2042016
TOTAL600,892
Mini Albums
Memorial Address100,0002004
Five4,2852011
LOVE2,5922012
again1,1602013
sixxxxxx7002015
TROUBLENA-
TOTAL108,737
Compilações
A BESTNA-
A BALLADS120,0002004
A BEST 2 -BLACK-25,0622007
A BEST 2 -WHITE-25,1682007
A COMPLETE24,1682008
A SUMMER BEST6982012
TOTAL195,319
Remix Albums4,097
Live Albums665
TOTAL GERAL909,710

NA = não disponível

Conhecida por sua forte fã-base em países como China, Taiwan, Malásia e Cingapura, Ayumi sempre figura entre os principais atos japoneses nesses países. A versão digital do mini já vendeu 25 mil cópias na plataforma chinesa CloudMusic, sendo a maior vendagem de uma artista japonesa nesse ano. O desempenho de Ayumi nos charts de final de ano também é extremamente expressivo:


2002 (G-Music) #4 I am...  (10.1%) / #5 RAINBOW (4.3%) [2] 
2005 (G-Music) #3 My Story (2.71%) [2]
2006 (G-Music) #1 (miss)understood (4.4%) / #4 Secret (2.1%) -> (miss) #19 (0.52%) in Combo Chart [2] [3] (5-Music) #1 (miss)understood (7.07%) / #2 Secret (3.54%) [2]
2007 (G-Music) #1 A BEST 2 -BLACK- (2.63%) / #2 A BEST 2 -WHITE- (2.56%) / #14 Secret (0.9%) [2] (5-Music) #1 A BEST 2 -WHITE- (9.46%) / #2 A BEST 2 -BLACK- (9.38%) / #18 glitter/fated (3.48%) [2]
2008 (G-Music) #2 GUILTY (2.86%) / #3 A COMPLETE (2.72% ) / #16 DAYS/GREEN (0.9%) [2] (5-Music) #1 A COMPLETE (1.44%) / #3 GUILTY (1.36%) / #5 Mirrocle World (0.82%) / #7 DAYS/GREEN (0.71%) [2]
2009 (G-Music) #8 Next Level (1.67%) / #19 Rule/Sparkle (0.84%) [4] (5-Music) #2 Next Level (4.21%) / #19 Rule/Sparkle (1.56%) [5]
2010 (G-Music) #7 Rock'n'Roll Circus (2.41%) [6] (5-Music) #6 Rock'n'Roll Circus (5.04%) / #13 Love Songs (3.13%) [7]
2011 (5-Music) #15 Five (1.24%) [8]
2015 (G-Music) #5 A ONE (3.47%) / #18 sixxxxxx (1.13%) [9]

 -

Referências

[3] 2006 Combo Year-End Chart 
[4] 2009 Year-End Chart (G-Music)
[5] 2009 Year-End Chart (5-Music)
[6] 2010 Year-End Chart (G-Music)
[7] 2010 Year-End Chart (5-Music)
[8] 2011 Year-End Chart (5-Music)
[9] 2015 Year-End Chart (G-Music)