May 20, 2017

,

Mensagem de Ayumi no site TeamAyu

Ontem, Ayumi fez uma postagem bombástica no site exclusivo do TeamAyu, dando detalhes sobre o problema no joelho e, para o espanto de muitos, no ouvido direito.
Pedimos ajuda a alguns dos nossos amigos internacionais, que nos enviaram prints da postagem e possibilitaram esta tradução.


A todos vocês (^_) -
19 de maio de 2017

Como o assunto já foi mencionado pela Tsuriko naquele relatório sobre o Yokohama Arena no site da turnê (por ser um lugar onde uma quantidade enorme de pessoas pode visualizar, ela naturalmente o fez com muita delicadeza, o que eu agradeço), achei que devia falar sobre isso, também.

No final do ano passado, um problema na rótula que já me acompanha há 6 anos apresentou piora. Nunca gostei de pedir a opinião dos outros pra nada, independente de quem seja a pessoa; seja alguém da família ou um amigo mais próximo. Sempre decido minhas coisas por conta própria, é um traço da minha personalidade que eu ainda não consegui corrigir. Então, eu pensei "depois do Countdown, sem que ninguém precise saber, faço a cirurgia e me restabeleço, e aí então preparo a nova turnê". Pensando assim, marquei a cirurgia. Naquele clima de festa, todo mundo celebrou o fim do ano e a chegada de 2017, e a cirurgia foi um sucesso. Só que fui uma bela tonta em achar que estava tudo resolvido.
Não vou entrar em detalhes porque não convém falar sobre os dias ruins que se seguiram, mas a questão é que mesmo depois de alguns meses, ainda busco todos os dias uma forma de conviver bem com meu joelho. Tenho certeza que, quanto a isso, não há muito a ser feito. Até porque se houver, seria abandonar os palcos.

E como se não bastasse, com a turnê prestes a começar, meu problema na audição também piorou. Por causa do malfuncionamento nos canais semicirculares, me vi de repente sem saber o que era em cima, embaixo, direita ou esquerda. Nem andar em linha reta. Quando tentava andar, acabava caindo; e mesmo nos dias em que consegui me mexer bem e cantar, tudo ao meu redor começava a girar, sentia tontura e vomitava no banheiro do estúdio, várias e várias vezes. Apesar disso, pensava comigo mesma "não vou me entregar, de jeito nenhum!". Mas o que me deixou assustada de verdade foi quando saiu o resultado dos exames e me disseram "o ouvido direito esteve até hoje trabalhando também pelo lado esquerdo, mas a sobrecarga é tanta que a audição dele está caindo vertiginosamente". Acho que, como de costume, estavam sorrindo pra mim, mas não me lembro de nada até chegar em casa. Só o que tinha em mente era "meu deus! Os dois ouvidos? Uma cantora com um problema desses?".

...Esse relato se prolongou demais, até mesmo pra mim, por isso vou encerrar com algo que considero mais importante.

Teve uma noite em que eu estava insegura quanto ao Yokohama Arena e recebi uma mensagem no LINE, dizendo o seguinte: "eu gosto demais de você, mas ultimamente parece outra pessoa e estou perdendo a paciência. Você é muito autêntica, então enfrente a situação!! Todos nós, mais do que ninguém, queremos estar no palco que você construiu!!!". Foi o tapa na cara que me fez acordar para a realidade. Foi a noite em que a "Ayumi Hamasaki" foi recuperada; não do senso de responsabilidade ou dever, mas em seu real significado.

O palco é tudo o que tenho. É nele que eu vivo. Não sei viver de outra forma. Não faço ideia do que o futuro reserva. Vou ouvir mesmo que não consiga escutar. Vou me mover mesmo que não possa me mexer. Pena ou misericórdia? Não, obrigada! O negócio é erguer a cabeça e olhar sempre para a frente, até o último instante!

Próxima parada, Yoyogi~ ^ ^ Estou ansiosa para ver os sorrisos em série~♡


ayu

- - - - - - - 
Agradecimentos especiais ao nosso amigo Naoki Wakabayashi (que nos mandou prints da postagem) e à nossa querida Sero-chan (que enviou uma pré-tradução em inglês, ajudando demais)!

May 17, 2017

,

1º relatório da turnê "Just the beginning -20-"

Foi publicado hoje o primeiro relatório da turnê, relativo aos shows no Yokohama Arena.
O texto foi escrito por uma tal de Tsuriko, que ao que parece, é quem escreve no site do Team Ayu.



Relatório da Turnê

A tão aguardada "Just the beginning -20- TOUR 2017" começou no último fim de semana, com duas apresentações no Yokohama Arena!
No primeiro dia estava chovendo de novo, não é? (risos) Já é difícil imaginar um show de abertura sem chuva. Se está chovendo, é sinal de que Ayu está em ótima forma!♡

Assim como na TA Tour do ano passado, me pediram pra escrever o relatório este ano também. Sendo bem sincera, como dessa vez a turnê terá 60 shows e será a mais longa da carreira, me senti insegura e pensei "será que dou conta de escrever tanto assim?". Mas como Ayumi falou no grito de guerra momentos antes do primeiro show:
"Não encarem esse show como o 1º dentre 60, mas como se fosse o único!"
Tendo em mente essas palavras encorajadoras, decidi dar o melhor de mim para que possa chegar até o final junto com todos vocês. Contem comigo!

Bem, como foi dito naquela entrevista na edição especial da VIVI, os dançarinos e performers passaram a frequentar o estúdio de Ayumi para encarar esta longa turnê nas melhores condições possíveis, tanto física quanto mentalmente. Acho que todos que estiveram no Yokohama Arena perceberam, não é? O desempenho deles ficou muito superior, graças à maior força muscular!!!!!
Claro, Ayumi também esteve envolvida dos treinos, e vocês me perguntam "por que esses mereceram mais dedicação?". Porque houve muito mais números de dança, desde o começo até o encore. Mesmo nos ensaios, senti que esta turnê não seria uma coisa feita simplesmente para derramar litros de suor. Desta vez, o cansaço seria bem maior, já que serão usados muitos figurinos pesados.
Prova disso é que, quando Ayumi voltou ao camarim no final do segundo show, seus joelhos tinham acumulado grande quantidade de líquido e estavam quase o dobro do tamanho, de tão inchados. Podem ter certeza de que estavam superdoloridos. Mas ainda assim, ela parecia muito feliz por poder estar na companhia dos fãs depois de tanto tempo. E apesar da dor aparentemente grande, sorria de forma radiante e brincou dizendo "nasceram peitinhos nos meus joelhos"...
São palavras que já venho usando bastante:
"O palco é a razão de viver para Ayumi Hamasaki."
E naquele instante, isso pôde ser constatado mais uma vez.

Acho que os fãs de longa data já sabem disso, então não há por que esconder: já faz 10 anos desde que ela sofreu uma súbita perda na audição, quando a capacidade de um dos ouvidos passou a diminuir devido à frequência do som até se perder completamente.
Sem saber o que estava acontecendo, Ayumi veio apresentando más condições físicas sucessivamente nos últimos meses. O corpo humano é algo bastante frágil, e 1% de audição ou ainda menos é capaz de causar grande influência em seu funcionamento. Ela soube disso faltando 5 dias para a estreia da turnê.
Durante esse período, sem chorar ou reclamar, Ayumi aceitou serenamente sua condição e assistiu de casa ao ensaio final, transmitido ao vivo do estúdio.
Foi como disse naquele dia, durante o LINE:
"É lamentável, de verdade. Me desculpem! Juro que vou dar a volta por cima!!"
Mantendo a calma e sem falar muito. Me pergunto quantas vezes a vi daquela forma...

E seguindo à risca aquelas palavras, deixou tudo pra trás e, na companhia dos fãs, criou um espetáculo magnífico de dois dias em Yokohama, dignos do nome "Ayumi Hamasaki".
Destaco que, diferente da apreensão e euforia próprias da estreia, o segundo show teve cara de ser o último dia de turnê. E até escrever este relatório, apenas palavras de emoção me vinham à mente. Disse isso a ela e aos dançarinos, e aquela impressão não parecia equivocada.
Ao fim dos 5 dias no Yokohama Arena, contando os 3 dias de ensaio e os 2 de shows, aquilo me lembrou a sensação do encerramento de um Countdown Live.

Entretanto, se isso é um paradoxo, pode-se dizer que daqui a um mês, os dois dias no Yoyogi serão como uma nova estreia.
Por ser obra de Ayu, tenho o pressentimento de que ela vai estudar a fundo o que foi feito no Yokohama Arena e apresentar uma versão ainda mais refinada!!!
Mesmo no ensaio no dia anterior à estreia, ela não estava satisfeita com uma sequência que até então parecia perfeita. Sozinha no palco, lá estava Ayumi, refazendo a entrada dos dançarinos e performers.
Aquela visão era tão solitária, que aos meus olhos até parecia cruel. A realidade que existe por trás do esplendor do palco. Construir com suas próprias mãos aquilo que considerava perfeito, para depois destruir e reconstruí-lo novamente. Uma decisão que só poderia ser tomada por Ayumi.
Tanta perfeição para quem?
Acredito que seja uma espécie de compromisso ou promessa mantida há anos entre ela e os fãs, que sempre aguardam um "show de Ayumi Hamasaki".
A todos vocês que compraram ingressos para o Yoyogi!!!!!! Aguardem por mais um mês com a mesma animação e ansiedade da equipe, que vai dedicar todo o esforço realizado até aqui rumo ao 20º aniversário!!!!!


O texto original pode ser conferido no site oficial da turnê (http://ayu2017tour.com/), na aba "Tour Report".

April 22, 2017

, ,

Tradução parcial da entrevista de Ayumi à ViVi!


A fã 'Tenshi no Hane' disponibilizou no AHS a tradução de parte da longa entrevista concedida à edição especial da ViVi.

Esta edição celebra o fim do 'DejiDeji Nikki' com uma longa entrevista. A primeira edição do diário foi publicada em setembro de 2000, e agora Ayu e ViVi relembram aquela época.
ViVi: Todos estavam constantemente buscando uma nova "Ayu". Cabelo loiro e curto, óculos escuros... Você criou várias tendências, seja de moda ou maquiagem.
Ayumi: Hoje em dia, quando vejo aquelas fotos, percebo que tinha vezes em que eu gostava daquilo só por alguns instantes, ou então nem sequer gostava. Acho até interessante. (risos)
Hein? Sério?
Não que fosse tudo mentira ou fingimento. Acho que na época, meu sentimento de "preciso estar sempre mudando [meu visual]" era muito mais forte que o fato de gostar ou não de determinado acessório. E até quando encontrava algo de que podia gostar pra sempre, eventualmente acabava mudando, mesmo porque não seria interessante manter sempre o mesmo look. Senão, não ia conseguir entreter através da minha aparência, entende? É por isso que, de repente, eu escurecia os cabelos apesar de preferi-los loiros, ou alternava entre uma pele bronzeada ou mais clara. Coisas assim.
Você exagerava?
Acho que me sentia bem na época. Usar roupas novas é legal, e as pessoas me diziam "você está ótima" e me imitavam. Ver todo mundo adotar meu visual me deixava feliz, mas pra dizer a verdade, acho que muitas vezes posso ter exagerado um pouco. Eu tinha que fazer alguma coisa, eu tinha que mudar. Sem que percebesse, criar coisas diferentes tinha virado o "dever da Ayumi Hamasaki". Eu encarava aquilo como sendo o certo e entrei de cabeça. Tenho certeza que brilhei muito na época.
Mas me tornei adulta de lá pra cá, e hoje não acho que "evoluir" e "mudar" sejam a mesma coisa. Pra mim, devo focar sempre na evolução. Como seres humanos, temos que saber lidar com o declínio, e acho errado simplesmente desistir e se abater. Dito isso, não tenho mais aquela ânsia de estar sempre mudando. Já passei por inúmeras mudanças e transformações, e hoje sei o que é realmente bom e importante pra mim. Acho que devo continuar evoluindo e mantendo contato com a época, de modo que não me torne muito arrogante.
[...]

Em compensação, tem algum momento em que você se odeia, pensando "nunca mais vou ser desse jeito"?
Eu não gosto muito do "eu" que fez cegamente tudo o que era esperado de mim. Como posso explicar?... Acho que seria muito rude comigo mesma e até com o TeamAyu, a quem sempre tento transmitir minhas ideias. Ainda acho que aquela versão de mim não era a ideal.
Você diz musicalmente, também?
Sim, musicalmente, também. Às vezes me pedem pra compor uma balada triste, quando na verdade estou me sentindo radiante. Se é a trabalho, é claro que eu faço, mas se uma situação dessas se estende demais, é como se me dissessem pra sorrir o tempo inteiro apesar de estar triste. E é ruim demais mentir pra mim mesma desse jeito, muito ruim. Não é?
E você deixou de fazer esse tipo de coisa?
Sim. Não quero passar a me odiar. Supondo que algumas leitoras da ViVi também passem por isso, odeiem seu "eu" atual ou nem saibam se gostam de si mesmas, torço para que não parem por aí: tentem encontrar o "eu" que vocês apreciam, porque ela certamente existe!
Não deixem isso para terceiros, encontrem-na vocês mesmas dentro de si. O que faz vocês se sentirem bem? Tentem imaginar um dia que tenha sido ótimo, ou o que tenha feito se sentir feliz. Foi por estar vestindo uma cor diferente da habitual? Foi por estar em um grupo diferente do habitual? Coisas desse tipo. É impossível que todos os dias sejam iguais, por isso deve haver uma razão, e se ainda não perceberam o que é, é porque não estão procurando. É um desperdício acabar com a sua vida por se odiar ou não saber o que quer do futuro. Vocês até podem esperar por alguém que diga "olha, você é maravilhosa quando faz isso" ou "você é a pessoa ideal para esse trabalho", mas ninguém garante que esse alguém vai aparecer. E mesmo que se mantenham passivas, ninguém vai achar a resposta pra vocês. Até porque essa resposta é algo que devem encontrar por si mesmas.
Você encontrou a sua resposta dessa forma?
Encontrei. Os tempos mudam, a idade muda e até as coisas à minha volta mudam rapidamente. Mas acho que basta redescobrir como amar a si mesma nesses momentos. Deve haver pessoas que transformam o hoje numa espécie de preparação, dizendo "o meu eu ideal está no futuro, e assim que a encontrar, ficarei com ela para sempre".
Mas a questão é que não existe isso de "período de preparação", não é? Quero muito que as leitoras da ViVi vivam o presente. Vocês até podem se preocupar com o futuro, mas o que vão fazer se algum imprevisto acontecer?
Essa é uma grande verdade. Deve ser o mesmo que "viver sem arrependimentos", não é?
Com certeza! Não faço ideia do quanto minha situação atual pode mudar, e provavelmente não há muito que eu possa fazer quanto a isso. O mais importante é perguntar "o que eu quero fazer?". Acho uma grande perda de tempo transformar o presente em uma preparação para o que quer se tornar. Você pode simplesmente fazer isso quando "o dia" chegar, não é? Acho que isso basta, principalmente para a geração de leitoras da ViVi.
[...]

Além disso, Ayumi disse que o fim do DejiDeji Nikki foi uma decisão dela (ao chegar no #200 no 19º ano de carreira, achou que era hora de parar), e que pretende focar no 20º aniversário.


Agradecimentos à fã 'Tenshi no Hane'! *-*

April 13, 2017

, , ,

Do fundo do baú: Ayumi e Mao, a amizade entre a cantora e a ex-atleta


Nos últimos três dias, Mao Asada vem chamando as atenções da mídia japonesa. Motivo? O inesperado anúncio do fim de sua carreira como patinadora artística. Em 21 anos de atuação, ela fez mais que conquistar medalhas e títulos mundiais: tornou-se uma das queridinhas do país, cujo carinho e admiração lhe renderam várias homenagens e até o posto de "atleta mais querida do Japão" por cinco vezes.
Como se não bastasse, a bonita ainda é fã da Ayumi, e o anúncio da aposentadoria nos fez lembrar uma história envolvendo as duas, ocorrida em 2010.

A doçura e a simpatia de Mao-chan conquistaram os japoneses

"-Conheci a Ayumi Hamasaki!"
Nascida em 1990, Mao começou fazendo aulas de balé, mas seguindo os passos da irmã mais velha e os incentivos da mãe, migrou para a patinação artística. O talento inegável logo lhe trouxe as primeiras medalhas e, claro, a fama, sem contar que a atleta conquistou o público por ser meiga, sorridente e, segundo alguns, passar a imagem de uma "irmã mais nova". Nessa época, a menina já era fã de Ayumi, mas a relação entre as duas estava prestes a se estreitar...
Em agosto de 2005, Mao, aos 15 anos, foi ao a-nation em Nagoya – sua cidade natal – e teve a chance de cumprimentar Ayumi no camarim. Sua alegria era tanta, que saiu dizendo pelos corredores: "eu conheci a Ayumi Hamasaki!". A partir daí, Mao esteve presente em vários shows.
Em janeiro de 2008, quando a cantora anunciou a perda da audição no ouvido esquerdo, sua fã ilustre teria dito: "espero que ela se mantenha firme e continue cantando". Além disso, meses depois, Mao esteve na plateia da Asia Tour 2008. No show do dia 9 de abril (dia seguinte ao 10º aniversário de carreira), ela participou do coro dos 12 mil presentes que cantaram "Who..." e levaram Ayumi às lágrimas.

A atleta é considerada uma das maiores patinadoras artísticas da história

You were.../BALLAD
Entre os dias 12 e 28 de fevereiro de 2010, seriam realizados os Jogos Olímpicos de Inverno em Vancouver, Canadá, e foi divulgado que Mao faria parte da delegação japonesa.
Sabendo disso, antes que a menina partisse, Ayumi pediu que lhe entregassem uma cópia do recém-lançado "You were.../BALLAD". O single veio autografado com as palavras "Mao-chan, boa sorte em Vancouver", e a atleta o considerou seu amuleto da sorte.

   
Amigas e rivais de longa data: Mao e Kim Yuna

Chega o dia 25 de fevereiro, dia da apresentação. Entre as competidoras, estava a sul-coreana Kim Yuna, igualmente famosa e favorita à medalha de ouro. Vale lembrar que a rivalidade entre as duas já era antiga, e vinha desde o início de suas carreiras. Kim se apresentou primeiro, e Mao começou a ficar tensa. A atleta já tinha dito em entrevistas que ouvia as músicas de Ayumi durante os treinos, pois lhe traziam encorajamento e força. Assim, para tentar se acalmar naquela hora, pôs os fones de ouvido e se concentrou.

Mao com os fones de ouvido, minutos antes de se apresentar

Um mês depois, no programa Oshare-ism, o apresentador Shin'ya Ueda perguntou: "o que estava ouvindo?". Mao respondeu: "Ayumi Hamasaki"

Enfim chegou a sua vez. Durante toda a competição, Mao foi a primeira e única mulher a realizar por três vezes o "triplo Axel" (salto acompanhado de três giros e meio sobre o próprio eixo), mas apesar da perfeição do movimento, acabou cometendo pequenos erros na performance, que lhe custaram pontos e lhe deram o segundo lugar. A sul-coreana conquistou o ouro e tornou-se a primeira atleta de seu país a conseguir uma medalha nesta modalidade em Olimpíadas de Inverno, enquanto a canadense Joannie Rochette (que comoveu o público ao se apresentar dois dias após a morte da mãe) recebeu a medalha de bronze.


Ao deixar o pódio, Mao chorava muito e disse "estou decepcionada, não consegui fazer tudo que podia".
Ayumi acompanhou tudo pela TV, e ao fim da competição afirmou: "estou muito ansiosa para que ela retorne com um grande sorriso no rosto. Quero parabenizá-la pela dedicação e pela coragem de não desistir!!"

Mao foi escolhida como porta-bandeira do Japão na cerimônia de encerramento

O anúncio
Nos anos seguintes, suas colocações passaram a ficar muito abaixo do esperado (em um campeonato, por exemplo, chegou a ficar em 12º lugar) e muito se especulou sobre a condição física de Mao que, aliás, deixou de executar o famoso triplo Axel.
Assim como a rival Kim, Mao afirmou que se aposentaria em 2014, após os Jogos Olímpicos de Sochi, na Rússia. "Comecei a pensar nisso no começo do ano. Não só pela condição física, mas levando outras coisas em consideração. Quero fazer minha última e melhor apresentação em Sochi". Terminando em 6º lugar nesses jogos, Mao pareceu ter adiado o fim da carreira, mas queixando-se de abatimento, afastou-se por um ano. Ainda retornou em 2015, já sem o mesmo ânimo, e pareceu se abalar ainda mais ao sofrer uma queda durante um campeonato no ano passado. Apesar disso, afirmou que competiria nas Olimpíadas de Inverno em 2018, mas na última segunda-feira, para a surpresa de todos, postou em seu blog o anúncio que os fãs não desejavam ler.
"Sei que é algo repentino, mas decidi encerrar minha carreira (...). [Desde Sochi] não conseguia mais alcançar os resultados que desejava, e isso me deixava chateada. (...) O desejo de continuar se perdeu. (…) Quero encontrar novos sonhos e objetivos no futuro, e evoluir sem me esquecer de sorrir", escreveu.

Participação especial em um episódio do anime Doraemon

Mao ainda não tem planos concretos para o futuro, e apesar da surpresa e de lamentarem a decisão, fãs de todo o Japão fizeram comentários de apoio: "nunca vou me esquecer de quando ela ganhou a medalha de prata em Vancouver. É triste saber que não veremos mais nossa estrela no rinque" e "ela sempre deu duro desde cedo, carregando as esperanças do povo japonês. Espero que ela agora possa aproveitar a vida como uma garota comum".
Mai, a irmã mais velha, postou um comentário no Twitter ainda na segunda-feira, dizendo "eu mesma ainda não acredito que o dia de sua aposentadoria chegou. Uma atleta de sucesso e com longa carreira tem muitas alegrias, mas também muitos conflitos internos. Respeito sua decisão e afirmo que só tive a aprender com sua trajetória".


Fontes:
http://mao-asada.jp/mao/ (blog oficial)

April 09, 2017

Ayumi Hamasaki comemora 19 anos de carreira e promete retribuir carinho dos fãs

[Ayumi Hamasaki / ModelPress – 9 de abril]
A cantora Ayumi Hamasaki celebrou ontem seu 19º aniversário de carreira, e recebeu inúmeras mensagens dos fãs.


Ayumi, que estreou como cantora com o single "poker face" em 8 de abril de 1998, postou nas redes sociais um agradecimento aos fãs que dizia "obrigada por esses 19 anos tão preciosos" e demonstrou seu entusiasmo rumo ao futuro, escrevendo "hoje se inicia o 20º ano! Vou renovar minhas energias e dar o melhor de mim, para que possa retribuir à altura!!!".
Atualmente em Paris, ela parece ter se divertido a valer nas comemorações junto à equipe, e divulgou uma série de fotos onde aparece cercada de bexigas. Ayumi também revelou ter recebido um presente-surpresa do presidente da Avex, Masato Matsuura, que está em Tóquio. "Hoje, Masa me fez uma surpresa por telefone na qual, junto com todo o pessoal que está em Tóquio, me disse 'parabéns!' ao som de 'BLUE BIRD'!", escreveu.


A cantora recebeu muitos cumprimentos dos fãs, que a encheram de mensagens de carinho: "Ayu-chan, parabéns! Te adoro", "obrigado por sempre nos presentear com lindas músicas", "te agradeço muito por continuar cantando durante 19 anos", "ouço suas músicas todos os dias", "te acompanho há 19 anos!" e "estaremos todos ao seu lado neste 20º ano", dentre outras.
Em maio, Ayumi dará início à "Just the beginning -20- TOUR 2017", sua mais longa turnê nacional, com 60 shows.

April 03, 2017

Fãs sobre Ayumi Hamasaki no Music Station: "Complicado, mas ainda a admiro"

A performance da cantora Ayumi Hamasaki no Music Station Especial, que foi ao ar no último dia 31 de março, tem gerado muita repercussão na internet.
Estava mais "cheinha" se comparada à forma física de antes, e ao cantar e ter problemas em atingir os agudos, muitos ficaram chocados e afirmaram "fiquei triste" e "dói tanto que nem consigo ver". Ainda assim, mesmo após o anúncio da perda da audição anos atrás, não lhe faltam admiradores ou elogios por ter prosseguido com a carreira.



"Ela já virou uma senhora"
A primeira coisa que chamou a atenção do público foi o físico da cantora, bem diferente de quando esteve no programa pela última vez, em 16 de setembro.
Ao verem sua imagem naquele vestido, que deixava os ombros amplamente à mostra, inúmeros comentários surgiram na internet dizendo "Ayumi engordou?!". De fato, comparada à sua última aparição, a cantora estava com os braços e a circunferência do rosto maiores, dando a impressão de estar mais encorpada.
O fato é que, durante a transmissão do programa, as redes sociais foram tomadas por comentários sobre isso, como "ela não está gorda demais??", "gente... Ayu tá com a cara gorda!" e "o rosto tá bem redondo, e os ombros muito largos...".
Além disso, o programa exibiu um vídeo da época do lançamento de "poker face", single de estreia de 1998. Diante das imagens, muitos devem ter se surpreendido novamente ao perceber a "diferença" naquela Ayumi com 19 anos. Prova disso foram os comentários "ela já virou uma senhora" e "cara, como Ayu envelheceu...".

Elogios por continuar a carreira após perda da audição
Não foi apenas a diferença "estética" que chocou os fãs: duros comentários apareceram também após o desempenho no palco.
Ayumi apresentou duas músicas: "TO BE", de 1999, e "ourselves", de 2003. Ambas muito populares entre os fãs, e para aquela noite, foi preparado um arranjo especial ao piano. Entretanto, a cantora parecia incapaz de atingir as notas, principalmente nos agudos do refrão de "TO BE", onde a voz soou rouca.
Em resposta a este desempenho, foram surgindo seguidamente vários comentários negativos no Twitter: "ela está sem voz e eu fiquei triste", "certeza que ela não consegue mais atingir os agudos...", "dói tanto que nem consigo ver", "ver isso hoje me deixa triste, principalmente por ter acompanhado toda sua carreira" e "melhor parar de cantar músicas antigas, porque só vai decepcionar".
De qualquer forma, no que diz respeito à voz, a relação com a perda da audição ainda persiste. Em 2000, Ayumi sofreu um distúrbio súbito no ouvido interno e adiou a turnê. Mais tarde, em janeiro de 2008, revelou no site do Team Ayu: "meu ouvido esquerdo não está mais funcionando perfeitamente, e não há tratamento".
Assim, mesmo diante dos inúmeros comentários negativos, houve, da mesma forma, muitos comentários de apoio por parte dos fãs fieis, dizendo "quero dar apoio a ela, que continua cantando mesmo com problemas na audição!", "é admirável decidir seguir em frente, mesmo que digam que a voz está deteriorada ou mesmo que não tem voz" e "é muito duro pra mim, hoje, ver esses problemas na voz dela, mas a admiro por não ter abandonado a carreira e por não ter apelado para o playback".


(Adaptação: JP Hamasaki)

March 22, 2017

Ayumi Hamasaki encerra "DejiDeji Nikki" após 17 anos

[Ayumi Hamasaki / ModelPress = 22 de março]
O diário da cantora Ayumi Hamasaki, publicado mensalmente na revista ViVi, chega ao fim na edição de maio, disponível amanhã.


A série, que já dura 17 anos, atinge sua 200ª e última edição de luxo, trazendo fotos de roupas da cantora e uma mensagem pessoal.
O diário começou em 2000 com o título "Ayu no PoraPora Nikki" (algo como "Diário de Ayu em Polaroid"), e as 4 páginas mensais com fotos do dia a dia e do guarda-roupa de Ayumi caíram no gosto dos fãs, tornando-se um fenômeno durante 17 anos.

Mensagem de gratidão
Nesta última edição, além de mostrar suas roupas, Ayumi aparece sorridente nas fotos como sempre fez até hoje. A cantora agradeceu, escrevendo: "a todo o pessoal da ViVi que esteve comigo, a toda minha equipe pelo apoio e a todos os amigos que apareceram ao meu lado nas fotos durante esse longo período de 17 anos. E a todos os leitores que curtiram o DejiDeji Nikki... Muito obrigada!!".


E na próxima ViVi haverá um conteúdo especial em comemoração às 200 edições do DejiDeji: a revista, que será histórica, trará uma sessão de fotos espetacular e uma longa entrevista com a cantora.

Capa da edição de maio, à venda a partir de amanhã

(Adaptação: JP Hamasaki)