June 25, 2015

,

[Análise] A ONE! Atualizado

        CD only                                      CD+DVD                                  CD+Blu-ray


No dia 08 de Abril deste ano, foi lançado o 16º álbum de Ayumi Hamasaki, o A ONE. De primeira impressão, parece ser mais um trabalho recheado de baladas em ritmos já apresentados pela cantora, no entanto, o álbum é acarretado de mensagens entrelinhas que, só quem é fã de longa data, poderá perceber, e o que parece ser reciclado, é algo novo e ultrajante!

Mal entendida, CoLours.

A ONE veio num momento em que a cantora vinha sendo criticada pelas drásticas mudanças nos últimos quatro anos, que segundo fãs e a mídia japonesa, já não era mais a Ayumi Hamasaki que conheciam.  Apesar de ser conhecida pelas frequências mudanças, tanto em gêneros musicais quanto na aparência, o público sentiu a cantora muito fora da sua linha. Alguns relatam que suas recentes letras vinham de forma "vazia", "sem nenhum sentimento de honestidade", e até mesmo o cansaço dos fãs aos "desabafos de relacionamento mal sucedido". Essa mudança fora sentida com Party queen que se agravou com LOVE again e conclui com Colours, sendo que esse ultimo, foi muito criticado por ter sido adotado um estilo musical americano, o que acabou influenciando nas vendas físicas que não chegou nem a 50 mil cópias em sua estréia. Um efeito terrível para uma artista de grande porte como Ayu.

Colours, na minha humilde opinião, foi mal interpretado. No momento que Ayu mirou para o EDM (Musica de dança eletronica) já podíamos prever que o trabalho não era pra ser o "estilo normal" da cantora, trazendo letras descontraídas e como muitos rotularam, "vazias". O álbum foi uma experiência divergente que, ao mesmo tempo foi boa e ruim para a cantora.


Como noticiou na entrevista cedida a 109 NEWS, ela mesma sentiu que de certa forma, estava fugindo dela mesma: "Eu acho que as pessoas próximas a mim já sabiam que eu estava fugindo, e os os fãs também aparentemente perceberam [...] De alguma forma, digo “Estou de volta! ”, então por favor, não me critiquem mais! 

O SIGNIFICADO DE "A ONE"

E desse acontecimento, surgiu A ONE! Por meio das letras (agora sinceras e sérias), o álbum veio para dizer que Ayumi Hamasaki e Ayu continuam as mesmas, e isso é contado pelo ponto de vista de Ayumi Hamasaki, o produto, numa conversa com Ayu. Sim, o álbum é também um meio para chegar em Ayu. 

Isso é verdade, sinto que meu antigo eu “já se foi”, mas ainda sinto “que ele está aqui” “Sendo algo bom ou ruim, ainda sou como eu era”.  [109 NEWS interview]

E assim, A ONE pode ser traduzido como UMA MESMA ou MESMA AYU. O álbum traz a identidade de Ayumi Hamasaki, na qual insiste  em dizer que não mudou durante esses 17 anos de carreira. Para deixar claro que seu "eu antigo" não partiu por completo, a cantora trouxe pontos perceptíveis para tal: 1 - mudar seu look para entrar em ressonância com o tema proposto ao álbum. Escurecer seu cabelo, fazendo uma referência ao começo de sua carreira; 2 - o uso do bracelete da marca Cartier que frequentemente usava em 1998~2000. É como se, por meio desse objeto, firmasse que o mesmo seja único e talvez precioso a ela; é como se o fizesse assim, um figurativo à sua imagem para com a industria musical ou até mesmo ao seu eu pessoal; 3 - Letras que tem duplo alvos. Sabemos que os álbuns A Song for XX, LOVEppears e Duty trouxeram músicas cantadas para a própria Ayu. Em entrevistas, a cantora esclareceu que era um meio de encorajamento  para enfrentar o mundo, por isso cantava para ela mesma, mas que isso não influencia ao sujeito das letras. É o que acontece em A ONE, letras que são supostamente "romanticas" dirigido ao amado, ao ponto de vista de Ayumi Hamasaki são dirigidos para Ayu.

Ele (o álbum) tem o significado de você poder começar por si próprio, pela sua essência, pelo seu eu verdadeiro, pela sua melhor parte. Isso é o que eu descobri…  [109 NEWS interview]

Deixemos claro a jogada de dois personagens. Ayumi Hamasaki, o eu produto que conhecemos como cantora, e Ayu, o eu que só ela conhece, fora do showbis, dos fãs, da mídia...

O single Zutto.../Last Minute/Walk

Antes de lançar o álbum, em dezembro de 2014 veio o single promocional dele, a trilogia de baladas de inverno o Zutto.../Last minute/ Walk. O single fez sucesso e vendeu mais de 33k cópias físicas. Foi o inicio do retorno do antigo eu e base para a produção de A ONE. Nele, assim como no álbum, é debatido temas como solidão e superação!

[...]Parece que o mundo nos deixou para trás
e desapareceu de alguma forma.
Você provavelmente riria de mim
se eu dissesse algo assim.

"Para sempre, para sempre,
continuaremos como éramos quando nos conhecemos,
acho que estou pedindo muito para que isso aconteça,
mas acredito que seja possível, desde que eu esteja com você...

Zutto... (Para sempre) temos um cenário solitário em que Ayumi Hamasaki se sentia diante as críticas, chegando a pensar que todos estavam contra ela. No PV, em um certo momento, há um personagem num quarto com - 10º C, uma alegoria para acreditarmos na "eternidade do seu eu".
A melodia ficou por conta de Kunio Tago e arranjo por Yuta Nakano que trabalharam em harmonia para representar uma música de inverno. Já no começo com piano, violão e violino, traz aquele sentimento sólido e delicado, digno de uma balada de inverno, desde de JEWEL que não havia experimentado tal sentimento.  Nota: 5/5

[...]Você acha que estamos trocando nossas últimas palavras, não é?
Eu não quero ouvir mais um segundo delas.
"Quando você se tornar uma memória, estará comigo para sempre
e essa é a coisa mais cruel que existe."
Devolva-me eu mesma.

Mais outra confirmação, agora em Last minute que, o eu de Ayumi Hamasaki que todos estavam ansiando, estava voltando. Uma leve balada ao estilo rockish de Tetsuya Yukumi.  Nota: 4/5

[...]Ei, o que as pessoas consideram egoísta?
Ei, se eu tivesse mentido, seria perdoada?
Ei, quais padrões as pessoas usam para comparar?
Ei, se houver uma fala dizendo "mais do que isso é errado",
quem decide o que é "mais"?

Eu levo esse tipo de vida,
mas vivo de cabeça erguida.

Mal interpretada pelo seu comportamento e mudança de cenário musical recente, a canção Walk nasceu, onde a cantora relata as criticas abatidas sobre ela. Mas mesmo sendo alvo das críticas, tenta seguir adiante como diz no ultimo parágrafo. Tetsuya Komuro mais uma vez nos presenteou com uma balada ao modo orquestrada.
Nota: 5/5

---------------------

SONORIDADE

A ONE que contém 12 músicas regulares e uma versão orquestra de Tell All (single digital de 2013) na compra da versão Teamayu, tem sonoridade similar ao álbum  LOVEagain (2013), que não é por menos, já que são os mesmos compositores e arranjadores. De um certo modo, um ponto negativo, pois alguns compositores como aclamado Tetsuya Komuro, a maior causa desse sentimento de "déjà vu", trouxe batidas e arranjos de snowy kiss de LOVEagain para compor as melodias de NO FUTURE e The Show Must Go On.  Yasuhiko Hoshino, Yuta Nakano e Kunio Tago também não ficam para atrás. Parabenizo aqui Kazuhiro Kara responsável pela canção de WARNING, uma melodia que entra em contraste a canção Missing, uma balada deste mesmo compositor em LOVEagain.

A melodia de the GIFT que traz pela primeira vez parceria com o cantor JJ Lin, tendo arranjo de Shingo Kobayashi (diretor musical de Ayu) é mais uma balada ao piano que não chega a ser tão exótica.

Temos também a produção de RedONE (On the floor - J-LO, XOXO- Ayu) no cover Movin' on without you de UTADA, que acabou entrando de ultima hora na tracklist do álbum. Apesar de ser um EDM muito bem trabalhado e ao meu ponto de vista, melhor que o original de Utada, se encaixa ao tema proposto em A ONE.

E por ultimo temos o novo remix de Tell All, disponível apenas na versão Teamayu, em que para se encaixar ao album resultou numa ótima melodia a la classical. A letra dela cabe bem em A ONE apesar de ter sido lançada em 2013 como single digital.

Sonoridade o.k. De certa forma, não é descartável. São lindas melodias compostas por uma equipe de peso, mas nada de "novo" nesse quesito.

LETRAS e Melodia

Para acessar todos as letras traduzidas: aqui

A ONE é aberto com a interlude a Bell, melodia leve e linda de Yuta Nakano seguida por WARNING, um rockish de Kazuhiro Kara, que mostra o lado "rebelde" da cantora antes "da volta do seu eu". A rebeldia "criticada" por todos, principalmente pelos fãs. Coisas que Ayu fazia e que acabaram não sendo bem recebida foram a inspiração para composição de WARNING (AVISO). Nota: 5/5




Você deveria ter feito isso assim.
Você deveria ter feito aquilo assim.
Eu sei que posso contar com o
fato de que você nunca está satisfeito.

"Às vezes, lembre-se de como você era
quando nos conhecemos,"
não me faça rir,
você sabe que essa é minha fala.

Eu não sou a saída de ninguém
para ouvir reclamações.

Isso mesmo, você não entende.
Eu não te mostro,
você não conhece meu verdadeiro eu.
Não quero dividir,
não pretendo me explicar.
Eu sou apenas minha...


Apesar dos apesares, Tetsuya Komuro fez um bom trabalho trazendo um pop/rock num cenário de desespero e solidão na melodia de NO FUTURE. A incerteza de um futuro fixo de Ayumi Hamasaki ao lado de Ayu. Nota: 3/5

[...]Olhando para o calendário,
fico contando em meu coração
os dias para nos vermos novamente.
Apenas essas pequenas coisas,
aquelas pequenas coisas me ajudam.

Todos os dias são assim.
O que eu devo fazer?[...]


Várias vezes senti a reação da solidão,
que vem depois da felicidade,
mas não consigo me acostumar com isso.

"Te vejo de novo, mas não amanhã,"
essas palavras são frias.
"Te vejo amanhã,"
na verdade, eu sempre quero dizer isso.


Anything for You, outra melodia de Tetsuya Komuro, a primeira vista parece uma versão estendida de Walk, na qual as duas baladas compartilham o mesmo sentimento de superação. No entanto, Anything for You vai além disso, onde Ayumi Hamasaki tenta proteger o eu de Ayu diante dos mal entendidos cometidos por esta. Nota: 5/5

[...] Você está machucada, não é?
Não conseguia lutar contras as lágrimas,
somente o tempo cura as feridas.

[...]Você é muito direta, não é? 
Não sabe jogar muito bem.
Isso causa alguns conflitos às vezes, 
mas apenas continue assim.
Nunca perca o seu sorriso inocente.
Eu me tornaria qualquer coisa para proteger seu sorriso.

Me tornarei seu guarda chuva em dias chuvosos, para você não sentir frio,
me tornarei seu vento em dias ensolarados, para espalhar o perfume das flores,
afastarei os perigos, para que você não tenha o que temer.
Brilharei bem forte, se estiver na escuridão...



Out of Control de Tetsuya Yukumi conta algo que tenha deixado Ayu triste, talvez as criticas da época nessa balada ao toque de rockish. E mesmo assim, aos olhos do público, sorria por trás de sua tristeza. Nota: 3/5

Eu chorei sozinha,
sem ter para onde ir.

Chorei mesmo sem saber o motivo,
talvez algo tenha me deixado triste.
Naquela época, eu ainda era capaz de chorar,
deixava as lágrimas rolarem.
Hoje em dia, não posso mais chorar,
me esqueci como faz.

Eu sorrio e sorrio,
mas sinto que meu coração está vazio.
Pergunto-me por que quanto mais eu sorrio,
mais meu coração se machuca.

[...] O que é viver?
O que é aguentar firme?

Quando tudo deixa de fazer sentido,
você é o única que eu quero ver.
Tem que ser você e ninguém mais.
Apenas essa noite é o bastante, seja minha...

Com o sentimento de Out of control, Story vem em seguida, também outra balada romântica de Tetsuya Yukumi. Aqui Ayumi Hamasaki relembra o passado, o seu começo como cantora e seu encontro com Ayu.
No final, deseja que as duas se encontrem novamente em outra vida. Nota: 3/5

Encontros não acontecem por acaso.
Percebi isso quando te conheci.
Todo o tempo me dizendo que em algum lugar do meu coração,

que eu deveria negar isso.

Que tipo de linda história teria sido
se fosse apenas nossa?
Mas a história não será
apenas nossa para sempre.


[...]As memórias ainda permanecem,
porque aqueles dias foram tão doces.
Eu sei, você também carrega
as mesmas cicatrizes.

Como seria nossa história
se tivesse começado diferente?
A história que vi em meus sonhos
se tornaram realidade?

"Quando renascer
em minha próxima vida,
vamos tentar nos encontrar
mais rápido que qualquer um, certo?"
Disse isso com um sorriso...


A balada The GIFT, do cantor e compositor taiwanês JJ Lin, traz mais uma balada ao piano que retrata por meio do tema "casamento", Ayumi Hamasaki e Ayu relembrando a jornada de 17 anos juntas e seguindo em frente adiante de uma nova etapa. O PRESENTE é o que a cantora designa a junção dos dois eu. Nota: 3/5








Pássaros gorjeiam em comemoração,
uma chuva festiva de pétalas de flores
e eu vejo a pessoa que amo logo a frente.


Lembro-me de nossos momentos juntos como um flash
e meu peito se aperta.
Nossa jornada definitivamente não foi fácil, não é?

Começando hoje, subiremos a escada para uma nova vida juntos.
Juramos dar cada passo com firmeza e cuidado,
para sempre.


Todas as lágrimas e tristezas que superamos
foram para esse momento, eu sei disso agora.

A partir de hoje viveremos para fazer
um ao outro as pessoas mais felizes do mundo.
Porque esse amor é um dos presentes
que Deus deu para o mundo...

A canção ainda pode estar falando da nova fase da vida de ayu, o seu segundo casamento com um estudante de medicina da Universidade de Los Angeles, Tyson Bodkin.

Um rockish "agitadinho" é The Show Must Go On de Tetsuya Komuro, tem-se Ayumi Hamasaki contando sua trajetória de todos os anos, a preparatória de seus shows, o encontro com seu fãs. E mais, em O Show Precisa Continuar, vem para afirmar que a cantora está longe de se aposentar.  
Nota: 3/5

Pude vê-los hoje também, seus lindos sorrisos.
Pude ouví-las hoje também, suas lindas vozes.
Não importa como o tempo continue mudando,
há algo aqui que jamais mudará.

O show precisa continuar.

Quando a primavera chega e a cidade fica mais tranquila,
acabamos nossa preparação
para começar a jornada para encontrá-los,
até sentirmos o fim do verão juntos...


Movin' on without you, cover de UTADA, um EDM de produção de RedONE, compartilha o sentimento de comeback , os "erros cometidos"e a superação desses. Nota: 3/5

[...]Eu já esqueci
essas promessas.
Vou devolver a você, o anel
e então você devolverá meu coração.
Eu tenho que ir embora sem você.

É lamentável,
serei a unica que sairá ferida dessa situação,
mesmo agindo como uma boa menina.


[...]Está tudo bem em tropeçar,
quero que você me ame,
mesmo que eu não diga tais palavras,
quero que você me entenda.

Eu não esperava que fosse doer,
mas por alguma razão,
é cedo demais para eu agir como uma boa menina?

Nada vai me parar
apenas você pode me parar.


E assim como Movin' on without you, Tell All é mais outra canção que se conecta perfeitamente ao contexto de A ONE. Nota: 3/5

A profunda escuridão que você abraça,
a força do vento que arranha suas bochechas...

Certamente há muitas coisas
que ninguém além de você sabe, mas...

Se hesitar, nada começará
e se nada começar, você não conhecerá a dor da perda.

Estou gritando para o futuro, "não é hora de desistir".
Para amar você, escolhi esta batalha.

Você acolheu manhãs calmas,
você passou por noites sem medo...

Ao invés de exibir seu espírito de luta,
quero que diga que está feliz...


PHOTOSHOOT

Para acessar o booklet: versão regular/ bônus teamayu

Na mãos do fotógrafo Akinori Ito, temos um ensaio fotográfico simple & clean para A ONE.
Para transmitir seus puros e verdadeiros sentimentos, Ayu optou por algo simples, ao invés do glamour que fora apresentado no álbum anterior, coLOURS.

Num cenário único e frio, um frame uma hora colorido, outrora em P&B, uma momento de alegria outrora triste, a fotografia traz um ar intimo de Ayu.



-----------------------------
PVs (Promotional Videos)

4 pvs presentes no álbum. 

Zutto... dirigido por Masashi Muto tem uma fotografia muito "wonderful". Aliás, esse diretor que trabalha com Ayu desde de A Song for XX (1999), foi responsável pela a maioria dos pvs dos últimos 4 albuns, trazendo um trabalho diferente do outro. Nota: 5/5

O cenário congelante e que, de fato, fora gravado numa sala com -10º C, só deixa tudo muito inspirador. Não há um pv parecido com esse e tão bom nos últimos 3 anos. A história contida nele se faz jus a letra da música.



Numa performance minimalista e contemporânea, Ayu transmite um ar perturbador no pv de Last Minute, dirigido também por Masashi Muto. A cor propositalmente vermelha do vestido, representando inquietação e confusão; o jogo de luzes que só deixa o ambiente mais perturbador; "o eu antigo" personificado num vestido preto observando o "eu presente"... Tudo alí está em sintonia com a letra dessa música que apenas quer nos contatar que Ayumi Hamasaki está de volta. Nota: 5/5


Em The GIFT, JJ Lin entra em cena como "noivo" de Ayumi Hamasaki. Nota: 4/5
Dirigido por Hideaki Sunaga, o pv traz todo aquele clima de casamento, com direito a pétalas caindo, Ayu num vestido de noiva lindo à renda, JJ Lin no piano, e muitos flashes deles dois juntos, para o delírio de muitos fãs taiwaneses. A fotografia parece um pouco com a de Zutto..., também muito wonderful e delicada.

Hideaki Sunaga é outro veterano na trupe de diretores da Avex Trax. Vem trabalhando com Ayu desde de 2003 e foi responsável pelos pvs de Greatful days, ANGEL'S SONG, About You, 1 LOVE, Don't look back e MOON.



WARNING é uma mistura dos pvs BRILLANTE e Lady Dynamite. Dirigido por A CREW, Ayu apresenta um cenário rock em volta de  elementos que geralmente são criticados pelos fãs e a mídia japonesa, como trabalhar por exemplo com drag queens ( Timmy, seu backvocal é um exemplo disso); o uso de "lábios sincronizados" nos shows e figurinos repetitivos. Ela coloca tudo isso a tona e deixa o recado: "faço o que quero". Nota: 3/5

O Diretor A CREW conseguiu captar a mensagem desta vez, e produziu um video clipe poderoso e "divo" para transmitir WARNING precisamente. A CREW começou a trabalhar para Ayu em  coLOURS, com os pvs de XOXO, Lelio e Angel - que muitos tentam esquecer a existência destes.


Os PVs de A ONE foram bem recebidos e bem mais produzidos que de Colours.

--------------

Considerações finais

Ao toque delicado de começo ao fim, A ONE tem de fato letras sinceras de Ayumi Hamasaki. E como ela já disse, começar pela sua essência... Essas letras compartilham uma atmosfera parecida com A Song for XX, MY STORY e SECRET, Não é atoa que no COUNTDOWN LIVE 2014-2015 ~Cirque de Minuit~ e agora na turnê desse ano com o mesmo titulo do CDL, a setlist de ambos esteja recheada de músicas desses três álbuns.

Ela sempre foi capaz de expressar muito bem por meio de suas letras e A ONE não foi diferente.
Erros>Solidão> Seguir em frente, são as palavras-chaves deste álbum. 

Com a honestidade que conseguiu demonstrar nesse trabalho, podemos dizer que realmente a cantora está de volta. Errar todo mundo erra, e Ayu soube que "errou" ao olhos do publico e tenta retornar ao seu eu antigo de forma que "não olhe para trás".

Sinto que meu antigo eu “já se foi”, mas ainda sinto “que ele está aqui” “Sendo algo bom ou ruim, ainda sou como eu era”. Na verdade achava que não conseguia mais cantar SECRET, mas acho que essa fase já passou. Eu ainda posso cantá-la, ou seja, eu acho que este álbum me ensinou que não mudei muito desde que criei A SONG FOR XX. As coisas a minha volta podem ter mudado, mas ainda existe algo no meu interior que me diz “As pessoas nascem sozinhas e irão morrer sozinhas”[...]“No fim nós ainda somos os mesmos” para outras pessoas. Se existem pessoas que quando se olham podem dizer “A minha essência permanece a mesma”... (109 NEWS interivew).



Nota para o álbum: 8


Análise feita por Rajma Tenshi
Agradecimento à AHSforum, ayutrollada

  

1 comment:

  1. Esse álbum realmente veio em boa hora. A One é bem melhor que Colours. A One tem tudo aquilo que esperamos da Ayu, e as músicas são 10, sendo a melhor " The show must go on ", a voz com seus belissímos graves e magnifico agudos, a atmosfera também... A Ayu se encontrou novamente e meus parabéns a ela. ♥♥

    ReplyDelete

Olá pessoal. Deixem seus comentários que eles serão divulgados no Blog após verificados! Consciência ao postar é uma educação que todos devemos ter.
Infelizmente a moderação teve que ser ativada por mal uso deste canal.
Aguardamos seu comentário.

Grato. Adm.