September 16, 2013

, ,

[Tradução] Numéro TOKYO - Outubro/2013!


ENTREVISTA COMPLETA

AYU - LAR DOCE LAR

Comemorando os 15 anos de aniversário de carreira, Ayu mostra sua casa pela primeira vez!

Hamasaki Ayumi, meu doce lar


Ayumi Hamasaki, que começou uma nova era na indústria de entretenimento do Japão, dá as boas vindas ao seu aniversário de 15 anos de carreira esse ano. Para ela, sua residência não é apenas um lugar para onde ela pode retornar, mas também um lugar onde passou "muio tempo de sua vida". Similar à construção dos palcos de suas turnês, ela leva cada detalhe em consideração, sem deixar nada escapar. Tudo que ela vê é beleza, depois o conforto. Não é um doce lar construído com materiais frios, mas com coisas que possuem significado para ela... É algo nascido do amor,através do mesmo processo que levou 15 anos para produzir Hamasaki Ayumi. Agora, Ayumi Hamasaki permitiu que uma preciosa sessão de fotos fosse feito em sua residência, onde ela colocou tudo, em comemoração à campanha de seus 15 anos de carreira. Neste espaço privado, nós vemos uma inocente, sincera diva, que não podemos ver em nenhum outro lugar. Depois de viver na linha de frente por longos 15 anos, Ayu nos conta uma história repleta de preciosidades.

Se o sucesso pode ser medido por quanto uma pessoa é capaz de enfrentar e lutar pelo seu sonho, então Ayumi Hamasaki é, com certeza, uma pessoa de sucesso. No longo período de 15 anos, o acúmulo de desafios e trabalho duro que ela enfrentou, provavelmente ultrapassa qualquer coisa que podemos imaginar. Quando percebemos que essa é a realidade de uma menina que apostou tudo em uma música, não podemos deixar de nos inspirar por tudo que Ayumi Hamasaki nos deu. Essa "residência" em que ela vive, para apoiá-la como a cantora Ayumi Hamasaki, foi completada com amor, passando por muitas aprovações, até que ela estivesse satisfeita. Nesse doce lar, podemos ver a beleza de Ayumi Hamasaki como humana, através de seu senso de estética e do silencioso conforto que ela deseja quando não está trabalhando... Aqui, ela de pé no quintal, onde geralmente brinca com seus amados cachorros.
Sobre o logo A instalado acima da lareira: “Eu o instalei em uma fantasia.”


Na escada espiral

No jardim
Algumas coisas eu vou mudar.
Algumas coisas eu mudei.
Algumas coisas eu não posso mudar.
Eu posso sorrir verdadeiramente?

Ayumi Hamasaki fala de seus 15 anos de carreira.


Ela vem correndo sem parar nos últimos 15 anos, desde os 19 anos de idade... esse doce lar, prova de seu sucesso como cantora, é um reflexo do tamanho de sua vida como Ayumi Hamasaki, uma pessoa que corre atrás de conforto e estética.
Eu me preocupo com o lugar que vivo desde adolescente. Eu sou do tipo que economizaria em bolsas, sapatos, roupas e maquiagem, para poder viver de forma confortável. Quando eu vim para Tokyo, morava em um lugar que parecia um dormitório e eu não suportava aquilo, pois era bastante degradado. Então eu me dediquei a comprar coisas para melhorar o lugar, pensando em como criar um ambiente onde eu me sentisse confortável (risos). Isso ficou comigo todo esse tempo e não se aplica só à minha casa, mas também aos camarins nos bastidores dos lugares onde passo pela turnê. Quem vê pela primeira vez, provavelmente se choca. "Por que seu camarim se parece com seu quarto pessoal?". Acho que isso é um bom exemplo de como eu sou, o tipo de pessoa que eu sou, durante a construção dessa casa, eu pedi que muitas coisas fossem refeitas tantas vezes que nem posso contar. As conversas que eu tinha com os construtores era tão detalhada quanto as conversas que eu tenho com o pessoal responsável pela construção dos meus palcos, verificando todo e cada pilar. Eu comprei mais de 10 livros sobre construção e li todos eles, entrei em sites sobre o assunto e expliquei o que eu queria de forma clara, usando os termos corretos e profissionais. Os trabalhadores riram e comentaram "ninguém vai acreditar que Ayumi Hamasaki falou com eles dessa maneira", mas as conversas que tivemos, são preciosas memórias daqueles tempos.

O doce lar estava concluído e não importava onde tirávamos fotos, ela montou com perfeição. Foi como o imaginado "a casa reflete a pessoa que nela vive e sua personalidade", onde a proprietária e o espaço entram em sincronia para representar "o presente que levou 15 anos para ser alcançado".

Ela revelou que "o que eu quero dessa casa é um conforto silencioso e uma sensação de libertação." Ela não parou de correr, mas seu estado mental difere muito daquele de quando completou 10 anos de carreira, quando seu objetivo era apenas continuar de pé e progredindo. Para resolver isso, é essencial que ela reflita sobre as músicas que escreveu nos últimos 15 anos.
Minha memória mais clara de quando eu debutei em 98, foi o momento quando fizemos nossas rondas nas lojas de discos e os adultos a minha volta inclinaram suas cabeças e pediram a todos "por favor, apoiem-la". Eu me lembro de pensar "de agora em diante, vou começar uma nova vida como Ayumi Hamasaki" e percebi que o sonho que eu sempre tive, estava se tornando realidade em um instante. As palavras de um adulto que eu nunca vi, nunca conheci. Um olhar incompreensível que eu ia seguir, um lugar onde eu não podia diferenciar esquerda e direita. Mas eu não queria que as pessoas pensassem que eu era apenas "uma garota de 19 anos", então eu me forcei a me impor e assim, eu senti que realmente tinha crescido.

Artistas que fizeram sua estréia em 1998, incluindo Utada Hikaru, Sheena Ringo, MISIA e Morning Musume… no meio desses grandes nomes, a que tinha mais carisma e logo se sobressaiu foi Ayu.
Os anos seguintes ao meu debut foram muito ocupados, então minhas memórias sobre esse período são irregulares, principalmente no período de 2003, quando estava trabalhando no "ayu ready?". Essa também foi a época mais conturbada, que aumentou muito o espaço entre o 'eu' que eu conheço e o 'eu' que o mundo pensa que conhece. Eu comecei a ficar mais em casa, parei de encontrar as pessoas... Incapaz de lidar com o fato de que eu tinha nenhum tempo privado e estava cercada de pessoas 24 horas por dia, eu perdi a capacidade de encontrar meu equilíbrio.

Em 2000, ela assumiu os Capítulos 1 e 2 de sua primeira turnê nacional. No topo de sua popularidade, com todos os cds atingindo marcas de venda de um milhão, ela foi atingida por surdez aguda, o que causou perda da audição.
Eu ainda me lembro do momento em que estava ensaiando para o Capítulo 2, enquanto eu estava cantando SEASONS e todo o som desapareceu. Inicialmente, eu pensei que meus earplugs estavam com defeito, mas vendo a expressão de todos os membros da equipe como se estivessem me perguntando "o que houve?", eu entendi que algo estranho tinha acontecido com meu ouvido. Desde então, eu aprendi a viver com isso e me acostumei de tal forma que nem consigo mais me lembrar como é ter a audição completa. Se tornou normal para mim. A tecnologia dos earplugs melhorou muito desde então e isso me ajuda a cantar muito melhor agora. Contudo, eu tenho medo quando não estou com eles. Eles são essenciais para mim, especialmente quando eu tenho que cantar em grandes locais. Naquela época, me falaram que eles não se responsabilizariam pelo que pudesse acontecer se eu decidisse continuar fazendo turnês, mas eu nunca me arrependi. Além de escolher fazer isso, eu aceitei que isso é algo que eu terei que conviver para o resto da minha vida... Foi assim que eu me senti.

Carregando o peso desse risco, ela terminou sua primeira Arena Tour com muitas reviews positivas sobre seus shows de alta qualidade. No ano seguinte, ela expandiu para uma Dome Tour, então uma Stadium Tour no próximo ano. Os membros da equipe que a conheciam naquela época, falaram de como as coisas eram. sob uma perspectiva interna.
Desde a primeira turnê, Ayumi Hamasaki sempre foi a única pessoa envolvida que sabia sobre todo e cada aspecto do show. Escrevendo o script, dando sua visão, nós fizemos o que podíamos para ajudá-la a entregar o que ela queria. Com os Capítulos 1 e 2, as turnês seguiam uma história, o que não é tão incomum, mas naquela época, eu não acho que todos realmente compreenderam sua visão e o que ela trabalhou com seus pensamentos. Depois de 15 anos, ela assumiu tarefas relacionadas ao palco e dos diretores de música, com a capacidade de fazer um julgamento imediato das coisas. É incrível como ela pode ser séria assistindo seu próprio show.

Então, como a Ayu se lembra disso?
Sem experiência algum em encher um mero corredor, eu estava, de repente, assumindo uma Arena Tour. Eu realmente não sabia de nada e eu me lembro de me sentir totalmente perdida e envergonhada. Tinha coisas que eu gostaria de fazer, mas eu não conseguia levá-las à outras pessoas. Eu era tão ignorante. Eu não sabia as palavras para descrever as coisas e eu não sabia se era possível fazer as coisas que eu gostaria. Eu fiz um script e o conectei com as músicas e, enquanto a fita cassete rolava tocava, eu disse à equipe coisas como "eu quero que os dançarinos saiam nessa hora~". Em retorno, me diziam coisas como "eu nunca vi maquinário forte o suficiente no Japão para suportar um vestido tão grande" e "eu nunca ouvi falar disso, então não sei se pode ser feito". Sem me dar por vencida, eu disse repetidamente "por favor, acreditem em mim". Quando eu sugeri um show onde os dançarinos só apareceriam para 1 música, eles sugeriram que "que tal usar vídeos pré gravados então? E quem sabe bonecas?". Eu respondi que "existe um motivo pelo qual humanos não podem ser movidos sem corações. E usar vídeos pré gravados ou bonecas não parecia algo verdadeiro..." 15 anos atrás, era difícil fazer com que as pessoas entendessem o significado por trás de tudo que eu fazia. Contudo, isso me ajudou a aprender. Todo o sofrimento que eu tive se assegurou que eu não me arrependeria de qualquer esforço para criar meu show ideal e eu procurei lições que pudessem me ensinar todos os dias.
Masa, que me viu crescer, me ensinou como escrever músicas e como cantar e também como escrever scripts para meus shows... No entanto, a partir daí, o trabalho que eu produzo é criado juntamente com as pessoas que trabalham comigo. Mesmo que Ayumi Hamasaki se refira à uma pessoa, ela não é uma entidade única. Contudo, sendo Ayumi Hamasaki de nome, eu sou quem carrega o fardo de tudo e eu vim a perceber isso naquele tempo.

A medida que sua presença como artista crescia, também começou a ganhar influência como líder da moda e começou várias tendências nos seus 20 anos. Mesmo isso tem algumas histórias inesperadas da ocupada estrela.
Teve um período de tempo em que grande óculos de sol se tornaram minha marca, mas isso não começou como uma declaração de moda. Eu comecei a usá-los porque queria esconder meu rosto o máximo possível. Por causa do trabalho, eu tinha que mudar o cabelo e a maquiagem várias vezes por dia, então, a condição da minha pele e meu cabelo se deteriorou. A mudança repentina para cabelo curto também foi um último recurso em razão disso. (risos) Pessoalmente, as tendências que eu ainda sigo hoje em dia são a Kitty-chan e velas. Quando estou viajando, estar cercada pelas minhas fragrâncias preferidas, me ajuda a ficar calma confortavelmente. Kitty-chan é uma obsessão pessoal. É incrível como apenas mudar a posição de seu lacinho me dá uma sensação de novidade que eu nunca me canso de ter. Eu acho que ela é uma personagem que se parece com Ayumi Hamasaki, então eu me sinto próxima dela e fico animada sempre que há um novo lançamento.

Em relação a sua música, ela as entrega não apenas em som, mas também com corpos se movendo para representá-las. Como produtora, ela procurou um estilo de palco com entretenimento único, algo que foi alcançado pela primeira vez em 2005, em MY STORY.
Desde a primeira turnê, eu venho escrevendo meus próprios scripts e criando minha setlist, então vou refinando as coisas até que se torne o melhor que pode ser, que é quando é gravado em DVD para lançamento. Quando o DVD daquela turnê estava completo, eu senti que eu tinha, verdadeiramente, entregado minha mensagem, que as músicas estavam finalmente completas pela primeira vez. Toda vez que eu crio uma música, parece que eu estou esculpindo uma parte de mim. A dor de criar cada música vem com extrema alegria de que eu fiz tudo que eu podia para expressar e fazer a música. A turnê MY STORY reafirmou isso para mim. HOTEL Love songs, de 2012, fez o mesmo e eu realmente senti que tinha superado o nível que foi estabelecido por MY STORY. Eu fiquei muito feliz de criar um show que eu sempre sonhei em criar e quando eu vi o DVD agora, é um trabalho que me faz pensar "nossa, isso é realmente interessante".

Alcançando uma satisfação tão grande e tantos feedbacks positivos, ela teve a confiança de se aprofundar, mantendo a positividade. Contudo, a conhecendo, ela sabia que não tinha nenhuma garantia envolvida.
É como, depois de conquistar uma montanha, você sente que deve conquistar oura e é assim que foi no ano seguinte, em 2006. Eu estava nos meus 20 e muitos anos e comecei a pensar em como eu gostaria que Ayumi Hamasaki fosse. Eu tinha essa necessidade de "sair da minha concha", de me tornar adulta e mostrar que eu não era mais uma menininha. Eu pintei o cabelo de preto e mudei de roupas casuais para usar coisas de marca... No que tange à música, eu me desafiei a produzir um álmbum com material de artistas internacionais pela primeira vez. Agora, eu percebo que, mesmo que com poucas diferenças, o que eu senti é parecido com o que eu sinto agora... Até agora, eu tenho escalado montanhas em um ritmo rápido, mas talvez seja hora de desacelerar e observar a paisagem, ver se existe algo que eu possa encontrar ali. Mesmo que tenha riscos envolvidos, eu prefiro me arrepender de fazer isso, do que me arrepender de não ter feito. Era sobre isso que eu estava cantando naquela época também. (risos)

O período de 27-28 anos é quando a maioria das mulheres pensam em subir na carreira. Foi nesse período de mudança de vida que ela entrou em 2007. Atendendo os desejos de seus fãs de ir para o exterior, ela completou com sucesso sua primeira turnê Asiática e ganhou o título de Princesa do Pop da Ásia.
Para a Asia Tour, eu consegui aprender como as pessoas de diferentes países desfrutam do entretenimento, o que me deu a oportunidade de assistir meus shows no Japão sob uma ótica diferente, então foi uma experiência muito valiosa. Contudo, por eu não saber falar Inglês são bem quanto eu sei agora, eu não conseguia dizer as coisas que eu queria durante os MCs. Na verdade, foi esse arrependimento que me fez ter vontade de me esforçar a aprender inglês. De alguma forma, arrependimentos são os fatores que mais me impulsionam para frente. (risos)


Durante 2008, o 10º aniversário, o inesquecível foi que ela deu um par de sapatos Louboutin autografados para cada um dos 300 membros da equipe. Era um presente incomparável, digno de uma super estrela. Contudo, o que ela nos conta agora, é uma sincera e surpreendentemente visão, que não foi ouvida em entrevistas feitas naquela época...
Como era meu aniversário de 10 anos, eu fiquei pensando "eu preciso fazer coisas nas quais eu tenha que me esforçar!", o que acabou sendo bem inútil. Eu fiz minha segunda Asia Tour, queria fazer algo diferente, mas acabei me afastando muito disso. Então, incapaz de equilibrar meu eu interior, eu trabalhei até meu corpo ceder e me afundei em muitos hábitos ruins... Contudo, quando eu, finalmente, superei esses obstáculos, me tornei uma pessoa mais forte. Eu me lembro de falar sobre voltar às minhas raízes, mas querer trabalhar duro não foi uma mudança repentina em meu coração. Era sobre como eu queria que Ayumi Hamasaki fosse, como eu queria ser como pessoa e a realidade que eu precisava enfrentar para alcançar isso. Era isso que eu queria dizer quando disse sobre voltar às minhas raízes.

Com muitos meses a cada ano dedicados às turnês, o verão para o a-nation e o final do ano para o Countdown Live, ela repetiu esse ciclo por 10 anos.. Para aguentar os desafios apresentados, ela construiu sua resistência correndo quase 10km por dia. Isso colocou muita pressão nos joelhos, que ela tinha que aliviar periodicamente através de procedimentos cirúrgicos para remover os fluidos. Para Ayumi Hamasaki, que se recusa a permitir qualquer erro em qualquer parte de seus shows, mesmo enfrentando altas febres, com os joelhos fracos, além da perda da audição, foi realmente muito mais do que perturbador.
Esses contratempos me deixaram muito mal, mas depois de tudo, eu vi que o único caminho para mim era seguir em frente. Fui superando todos os obstáculos até agora com esse pensamento. Sem poder correr por causa do joelho, eu procurei online por métodos que pudessem ajudar na minha resistência e, finalmente, encontrei o site do mestre Katou, que está me ajudando com o treinamento de pressão até hoje. Meu encontro com o treinamento de pressão foi muito importante para mim, então estou fazendo isso há um tempo. Eu faço yoga também, às vezes. Em termos de personalidade, foi durante meus 20 anos que eu era muito dura comigo mesma, mas no fim do dia, ser um indivíduo equilibrado é o mais importante. Eu só percebi isso depois de um ano do meu 10º aniversário e decidi que, daquele momento em diante, eu cuidaria do meu próprio corpo.

Nos anos seguintes depois do 10º aniversário, sua música geralmente parecia acompanhar um tema interno "posso superar o que eu já fiz?", e nós continuamos recebendo trabalhos de Ayumi Hamasaki que evoluíram com novas abordagens. Suas músicas sempre foram reflexões de sua vida, então quando lançou Virgin Road, não foi uma surpresa que muitos fãs previram o seu casamento.
Não foi minha primeira vez filmando um PV no exterior. Tinham muitos atores lá e não havia nada em especial na forma em que eu os escolhi, em termos de pré-requisitos ou seus ambientes. Eu só precisava ter algum tipo de conexão com eles... Esse incidente, me impulsionou não para o amor, mas para um sonho, e eu acho que ele sentiu a mesma coisa também. Contudo, quando tentamos levar uma vida normal, o que parecia novo e cheio de possibilidades, se tornou um mundo de inigualáveis diferenças. Sinceramente falando, o photobook que ele fez foi como um choque também. Eu me lembro de pensar "Isso era para acontecer? Esse homem não é meu marido?", mas ele viu de forma diferente, perguntando "O que tem de errado nisso?". Ele viu isso como um presente maravilhoso, mas isso me chocou tanto que minha lembrança dos próximos dias são um pouco embaralhadas e eu não conseguia comer ou dormir. Nós ainda mantemos contato, não como um casal, mas como amigos e eu voltei a ver suas ideias e perspectivas diferentes como algo novo e cheio de possibilidades. Eu acho que essa é a diferença entre ser amigo e ser família. Então, ano passado... foi provavelmente quando minha vida privada se desviou mais e eu não posso nem justificar meus próprios erros. Se eu tivesse que comentar, eu diria que há duas formas que as pessoas querem se apaixonar. Suprimir a realidade e continuar vivendo um sonho ou sermos nós mesmo e termos nossas diferenças reconhecidas. Eu escolhi a última. Eu não quero ser completamente amada. Eu quero poder ser eu mesma verdadeiramente, sem precisar esconder meus fracassos.

Paz, conforto, confiança... Há muitas coisas que procuramos em um parceiro. Nós também entendemos que não é fácil encontrar alguém que possa realmente nos aceitar como realmente somos... Nós perguntamos sobre as coisas que a permitiram continuar em frente por 15 anos.
Definitivamente os fãs e não minha resistência pessoal. Algumas vezes, eu senti como se houvese um doloroso abismo entre eu e meus fãs e isso me fez querer desistir... Mesmo agora, eu entendo a verdade dentro de mim e eu ficarei feliz se algumas poucas pessoas puderem me entender. Eu não me importo se todo o resto me achar boba ou ridícula. É assim que me sinto agora, mas no passado, eu levava tudo muito a sério e isso realmente me machucava. Quando eu estava muito mal, eu pensava coisas como "Como posso escapar de tudo isso?", "Por que eu escolhi essa vida? Como eu posso fugir? Como posso acabar com tudo?". No fim, eu não podia me esconder. Eu percebi que eu não seria capaz de fugir, ainda que eu desistisse de tudo. Então, a melhor escolha não seria não desistir?... Desde então, eu mudei lentamente. O interessante é que meus sentimentos estavam refletidos na minha primeira casa, que estava em construção. Em uma palavra, é como um forte. (risos) Então, depois de tudo, eu construi minha segunda casa, que é essa desta sessão de fotos. Elas são totalmente opostas, como preto e branco. Contudo, sempre que eu preciso de foco, eu sempre retorno ao forte. Se eu não fizer isso, não posso criar nada bom e crio coisas que são razoáveis para pessoas que estão de bom humor. Na nova casa, eu posso estar com meus cachorros, deitar com eles, indefesos, de barrigas para cima... Mesmo agora, eu vejo os dois lugares como meu lar. Eu não vou abrir mão do meu forte, porque ainda há momentos em que preciso dele.

Um lugar onde ela pode ser ela mesma nos pequenos intervalos do trabalho e não para se gabar de seu sucesso e suas conquistas. Foi, provavelmente, o que ela quis dizer quando falou "eu só posso ser livre quando mergulho em minhas músicas".
Decorar o meu camarim para se parecer com meu quarto é uma das minhas preparações, para que eu possa entrar no palco na minha melhor forma. Eu amo fazer isso e isso me ajudou a continuar por 15 anos... Eu só quero ver coisas bonitas, confortáveis, coisas que não precisam ser caras, mas que tenham valor sentimental. Coisas que não são pré-fabricadas, mas criadas com a minha originalidade... É assim que eu criei Ayumi Hamasaki, para refletir esses sentimentos. Assim como agora, ao longo dos 15 anos, eu criei minhas casas e meus shows, refletindo o que Ayu queria, no maior número de detalhes possíveis. É isso que eu percebi. Contudo, não é algo que eu consegui sozinha. Tem os meus fãs que me amam e nunca desistem de mim. Tem minha equipe, que sempre me apoia. Tem minha família e amigos, que estão sempre aqui para mim. Esse 15º aniversário é para retornar esses favores... Para eles, eu vejo isso como meu dever de usar o resto do ano para criar uma ótima música. Não há nada concreto agora, mas, como eu murmurei para mim mesma enquanto estava na frente de Shibuya 109, sem qualquer plano para o futuro, "eu ainda posso trabalhar duro".

Com apenas uma música, Ayumi Hamasaki alcançou um sucesso que pode ser comparado ao sucesso de um CEO de uma grande corporação, e todos sabem que isso não é algo que se alcança apenas sendo fofa.
Eu sinto que há coisas que devem ser mudadas e coisas que eu não devo mexer. Com isso e continuamente dependendo da esperança, eu fico me renovando, especialmente enquanto eu trabalho para reunir e me rodear de pessoas que podem me ajudar a alcançar isso. Mas, embora seja possível superar obstáculos com um momento de poder, é muito difícil continuar seguindo em frente. Por isso eu disse que Ayumi Hamasaki não é uma entidade singular, porque é também todas as pessoas que trabalham comigo e me ajudam a me reinventar, que tornam Ayumi Hamasaki o que ela é. Há momentos em que é minha obrigação manter a motivação que impulsiona Ayumi Hamasaki, juntamente com a vida de todos que a apoiam. Eu nunca me esqueci disso, desde que eu vi como meu primeiro produtor criou Ayumi Hamasaki. Pode ter sido uma criação vaga, mas nos anos seguintes, eu senti que evolui para um monstro e é meu dever, e só meu, controlá-lo. Foi assim que eu senti.

Ouvindo isso, pensamos em todos que cumpriram seu tempo ao lado de Ayumi Hamasaki e se tornaram especialistas em suas próprias áreas. Quando estavam ao lado dela, não podiam aproveitar as coisas como platéia, mas hoje, eles viajam para comparecer a seus shows, assistindo-os com empolgação... O orgulho que, as vezes, estampa seus rostos é, provavelmente, decorrente das lembranças de como, um dia, eles ajudaram Ayumi Hamasaki a superar seus obstáculos. Ayumi Hamasaki é uma princesa do pop única. Finalmente, percebemos uma coisa ao comparecer à sua turnê de 15 anos de carreira. A platéia estava cheia de adolescentes, bem como de pessoas que a acompanharam durante toda essa era.
São as músicas que eu fiz no passado ou as músicas que eu lancei recentemente? Não importa o que seja, eu espero que possa ensinar o que eu aprendi: a música transcende às eras para ressoar no coração das pessoas... Enquanto é importante continuar evoluindo, eu quero me agarrar à algumas coisas, sabendo que elas não mudaram, e sentir saudade. Como agora, que eu procurei por um lugar de conforto, eu desejo que Ayumi Hamasaki seja uma fonte de conforto para os fãs.

Fotos marcadas com os anos:

1998: 19 anos de idade... a estréia da música que mudaria seu destino.
1999: A grande Hello Kitty que a acompanha nas turnês.
2000: Os óculos de última geração para esconder a deterioração de sua pele.
2001: Um item que ela deve ter, junto com as velas. A fragrância da linha Mademoiselle, de Coco Channel. Ela gosta de estar rodeada pelas suas fragrâncias preferidas, até mesmo quando está no palco.
2002-04: Seu primeiro programa de TV, "ayu ready?". Ela admite que ficou muito nervosa de ter que falar com pessoas que apenas tinha ouvido falar.
2004: A origem do estilo dos shows atuais, a turnê MY STORY. Ainda é incrível de assistir.
2005: Não é uma loja. É a estante de velas de sua casa, um estoque suficiente para abrir uma loja. "Sim, é um A logo". (risos)
2006: O período que seu estilo mudou de casual para mais feminina.
2008-09: O Louboutin autografado que ela deu para todos os membros da equipe no aniversário de 10 anos.
2010: Um vício saudável nos cintos de treinamento de pressão.
2011-12: O microfone brilhante. Continuar cantando é viver.
2013: "Nós dormimos juntos quase todos os dias. Minha amada família. Papiko, Pino, Crea e Cocoa."


Tradução e Adaptação: Marina Aino
Fonte: Misa-chan Jpop blog
  

0 comentários:

Post a Comment

Olá pessoal. Deixem seus comentários que eles serão divulgados no Blog após verificados! Consciência ao postar é uma educação que todos devemos ter.
Infelizmente a moderação teve que ser ativada por mal uso deste canal.
Aguardamos seu comentário.

Grato. Adm.